Meteorologia

  • 18 MAIO 2024
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 20º

Montenegro quer mais investimento português em Cabo Verde

O primeiro-ministro, Luís Montenegro, quer mais investimento português em Cabo Verde e prometeu hoje empenho em criar condições para que tal aconteça, no final do primeiro dia de visita ao arquipélago.

Montenegro quer mais investimento português em Cabo Verde
Notícias ao Minuto

21:38 - 20/04/24 por Lusa

País Governo

"O Governo português está empenhado em estreitar todos os mecanismos de cooperação com Cabo Verde, com vista a que as empresas portuguesas" que investem no arquipélago possam ter "novas oportunidades", referiu no final de um encontro de cortesia com o Presidente da República, José Maria Neves. 

A visita ao palácio presencial, no Plateau, centro histórico da capital, Praia, fechou o programa de hoje, que incluiu também um encontro com o presidente da Assembleia Nacional, Austelino Correia, e visitas a alguns empreendimentos.

Montenegro passou por um centro de energias renováveis que funciona nas imediações da capital e pelo parque tecnológico que está a ser construído na cidade da Praia.

"O aproveitamento desta estratégia de diversificação da economia cabo-verdiana" deve estar na mira dos investidores portugueses, referiu.

Com esta visita, a sua primeira fora da Europa, "estão criadas condições para que os governos e os órgãos de soberania dos dois Estados possam cooperar ao serviço ao serviço das comunidades" de ambos os países, resumiu.

No domingo, a agenda prevê uma visita ao sítio histórico da Cidade Velha, onde decorrerá um encontro com representantes da comunidade portuguesa, que encerra a visita ao arquipélago.

O primeiro-ministro remeteu para o regresso a Portugal qualquer comentário sobre as funções da Procuradora-Geral da República, após ser questionado pelos jornalistas sobre as declarações do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

"Quando regressar a Portugal, terei oportunidade de responder a essa e outras questões", referiu Luís Montenegro.

O Presidente da República disse na sexta-feira que cabe ao Governo a iniciativa de propor, eventualmente, o fim de funções da procuradora-geral da República, assim como a sua nomeação, referindo que o mandato de Lucília Gago termina em outubro.

"Sabem que quem tem a iniciativa de propor o fim das funções do procurador-geral da República é o Governo. Nem o anterior nem o atual mostraram jamais a intenção de propor o termo das funções da senhora procuradora", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O chefe de Estado falava a propósito dos mais recentes desenvolvimentos da Operação Influencer.

Leia Também: Primeiro-ministro chega a Cabo Verde para primeira visita fora da Europa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório