Meteorologia

  • 22 MAIO 2024
Tempo
18º
MIN 13º MÁX 22º

Montenegro diz estar a ser "muito bem recebido" por homólogos europeus

O primeiro-ministro disse hoje que está a ser "muito bem recebido" pelos restantes chefes de Governo e de Estado da União Europeia (UE), na sua estreia no Conselho Europeu em Bruxelas, prometendo "espírito de cooperação" para "objetivos comuns".

Montenegro diz estar a ser "muito bem recebido" por homólogos europeus
Notícias ao Minuto

18:34 - 17/04/24 por Lusa

País UE/Cimeira

"Tenho sido muito bem recebido e, portanto, [gostaria de] agradecer a todos os colegas do Conselho [Europeu] as palavras de felicitação e também de incentivo que me transmitiram, cada um em nome do respetivo Estado, num espírito que é o espírito que nós queremos continuar a manter muito vivo de cooperação, de solidariedade, de podermos atingir objetivos comuns, servindo as populações de cada um dos Estados membros da União Europeia e os europeus em geral", declarou Luís Montenegro, falando à imprensa portuguesa em Bruxelas.

Na chegada à cimeira europeia de dois dias, que hoje arranca na capital belga, o novo chefe de Governo prometeu "cultivar esta participação nas instituições europeias sob a perspetiva de salvaguardar o interesse nacional", salientando que "ser português hoje é ser europeu".

"É nesse enquadramento que tenho tido conversas com já praticamente todos os meus colegas de Conselho", adiantou Luís Montenegro.

No dia em que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou que "começa a ser mais provável" haver um português no Conselho Europeu, o primeiro-ministro escusou-se a comentar.

"Estando mesmos prestes a iniciar-se a reunião do Conselho Europeu, creio que é oportuno dizer que esse assunto não está na agenda do Conselho Europeu, nem na minha agenda para o dia de hoje", concluiu Luís Montenegro, nas declarações à imprensa.

Em dezembro de 2023, o Presidente da República considerou que o ex-primeiro-ministro, António Costa, está "em condições de ter um lugar na Europa" como presidente do Conselho Europeu.

Nesta que é a primeira cimeira do novo primeiro-ministro português, os líderes da UE vão hoje pedir "máxima contenção" ao Irão e Israel para evitar uma escalada de tensões no Médio Oriente, condenando "veemente e inequivocamente" o recente ataque iraniano.

A discussão surge após o ataque do Irão com 'drones' (aeronaves não tripuladas) e mísseis a Israel no passado fim de semana, que levou à inclusão na agenda do encontro a discussão sobre a situação no Médio Oriente.

Segundo o mais recente rascunho das conclusões desta cimeira extraordinária, a que a Lusa teve acesso, "o Conselho Europeu apela ao Irão e aos seus representantes para que cessem completamente os seus ataques e insta todas as partes a darem provas da máxima contenção e a absterem-se de qualquer ação que possa aumentar as tensões na região".

No texto, que terá ainda de ser aprovado, os chefes de Estado e de Governo também "condenam veemente e inequivocamente o ataque iraniano a Israel e reitera a sua total solidariedade para com o povo de Israel e o seu compromisso com a segurança deste país".

Ao mesmo tempo, será mencionada nas conclusões a crise humanitária na Faixa de Gaza, com os líderes dos 27 da UE a reiterarem "o seu compromisso de colaborar com os parceiros para pôr termo à crise".

O foco inicial deste Conselho Europeu extraordinário de dois dias seria a competitividade do mercado interno, mas, apesar de o assunto continuar em agenda, a atualidade internacional

Leia Também: Israel? Montenegro apela à contenção na reação e admite sanções ao Irão

Recomendados para si

;
Campo obrigatório