Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
24º
MIN 13º MÁX 26º

Carta de Pessoa a Torga com crítica sobre poesia na Biblioteca Nacional

Uma carta que Fernando Pessoa escreveu a Miguel Torga em 1930, com uma crítica e na qual afirma que a arte é "uma manifestação distraída da inteligência", foi doada à Biblioteca Nacional, anunciou esta instituição.

Notícias ao Minuto

21:56 - 03/04/24 por Lusa

Cultura Fernando Pessoa

Na página oficial, a Biblioteca Nacional de Portugal explica que Clara Rocha, filha do escritor Miguel Torga (pseudónimo literário de Adolfo Correia da Rocha) doou uma carta que o pai recebeu de Fernando Pessoa.

Datada de 6 de junho de 1930, a carta é um agradecimento de Fernando Pessoa a Miguel Torga, por este ter enviado o livro de poemas 'Rampa' à revista literária Presença, tecendo ainda considerações sobre sensibilidade e inteligência.

Dirigindo-se a Miguel Torga como "prezado camarada", Fernando Pessoa diz que gostou de ler a poesia de Miguel Torga, afirmando que tem uma sensibilidade "de tipo igual à do José Régio" e que "é confundida, em si mesma, com a inteligência".

No entanto, Fernando Pessoa comenta: "O que em si é ainda por aperfeiçoar é o modo de fazer uso dessa sensibilidade".

Na carta, em duas páginas digitalizadas e colocadas 'online' pela Biblioteca Nacional, Fernando Pessoa afirma ainda que "a arte não é mais do que uma manifestação distraída da inteligência".

A frase é um parêntesis numa consideração do poeta sobre sensibilidade: "Intelectualmente - e portanto artisticamente - falando (a arte não é mais que uma manifestação distraída da inteligência), a sensibilidade é o inimigo".

Miguel Torga (1907-1995), que admirava Fernando Pessoa, escreveu-lhe uma resposta a discordar daquela crítica "e expondo o seu ponto de vista", lembra o Espaço Miguel Torga, de São Martinho da Anta (Vila Real), na página oficial.

Fernando Pessoa "escreverá de novo uma extensa carta desenvolvendo as suas ideias estéticas", refere o Espaço Miguel Torga.

Segundo a Biblioteca Nacional, a carta de agradecimento de Fernando Pessoa (1888-1935) já tinha sido publicada em livros de correspondência tanto de Pessoa como de Torga, mas passa agora a estar incluída no espólio do poeta depositado nesta instituição.

Veja a carta na galeria acima.

Leia Também: Peça 'G.O.L.P.' imagina em palco Portugal e Chile em guerra por anexação

Recomendados para si

;
Campo obrigatório