Meteorologia

  • 29 MAIO 2024
Tempo
21º
MIN 15º MÁX 29º

Manifestações anti-imigração e antifascista a 350 m de distância no Porto

Uma manifestação contra a imigração e outra antifascista vão decorrer a 350 metros de distância no sábado na baixa do Porto, tendo já sido autorizadas pela Polícia de Segurança Pública.

Manifestações anti-imigração e antifascista a 350 m de distância no Porto
Notícias ao Minuto

16:07 - 02/04/24 por Lusa

País Porto

Contactada pela Lusa, fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto afirmou hoje que foi dado parecer positivo à realização das duas manifestações, que serão acompanhadas por agentes de segurança.

Também a Câmara do Porto afirmou que foi solicitada avaliação policial ao Comando Metropolitano da PSP do Porto, como acontece em todas as manifestações.

"O parecer policial não é contrário à realização das manifestações indicadas", acrescenta, destacando que o direito de manifestação "não carece de autorização" do presidente da autarquia e que a avaliação de segurança é "da exclusividade competência da PSP".

"Não compete à CMP ajuizar sobre matérias exclusivamente policiais. As manifestações previstas para o dia 06 de abril não são geograficamente coincidentes. As medidas de polícia que possam ser adotadas para este fim específico são da exclusiva competência da PSP", acrescenta.

Convocada pelo grupo 1143, a manifestação "Menos Imigração, Mais Habitação" está prevista para as 18:00 na Praça D. João I, segundo a PSP.

Na rede social X (antigo Twitter), o grupo, que tem como porta-voz o militante de extrema-direita Mário Machado, convoca "todos os patriotas a marcarem presença" no Porto para mostrarem "oposição à invasão de imigrantes, que é a principal razão para o aumento brutal do preço da habitação".

"Não basta parar a imigração, é urgente iniciar o processo de remigração para a esmagadora maioria destes indivíduos e fazermos ouvir a nossa voz", refere.

Noutra publicação na mesma rede social, o grupo de extrema-direita afirma que "os Fascistas de Abril querem proibir os patriotas de se manifestarem no Porto".

Com o ponto de encontro marcado para a Praça D. João I, o protesto seguirá pela Rua Dr. Magalhães Lemos, Avenida dos Aliados e Rua Sá da Bandeira, terminando no local onde se inicia.

Por sua vez, a associação Habitação Hoje convocou também para sábado uma manifestação "Contra o Fascismo, Mais e Melhor Habitação".

Segundo a PSP, a ação inicia-se às 17:00 na Praça da Batalha, que dista 350 metros do local de encontro do protesto de extrema-direita.

Na rede social Facebook, a associação apela à união "da classe trabalhadora, portuguesa e imigrante, contra o fascismo, o ódio e a desinformação".

Numa tentativa de impedir a realização da manifestação convocada pelo grupo 1143, várias organizações envolvidas na "manifestação contra o fascismo" lançaram uma carta aberta endereçada ao Presidente da República, presidente da Câmara do Porto, comandante da PSP do Porto e outros responsáveis da área da justiça.

Consultada pela Lusa, a missiva, semelhante à divulgada em janeiro na sequência da manifestação "contra a islamização da Europa" no Martim Moniz, em Lisboa, apela que a se trave "a saída desta manifestação que (...) se constitui como incitamento ao ódio e à violência e não mero exercício da liberdade de expressão".

"Com esta carta pretendemos defender a segurança de todas as pessoas imigrantes em Portugal, combater o racismo, a xenofobia, a hostilidade religiosa e o crescimento do discurso de ódio a que temos vindo a assistir", acrescentam.

Leia Também: Haiti. Mais de 50.000 pessoas fugiram da violência de gangues na capital

Recomendados para si

;
Campo obrigatório