Meteorologia

  • 19 MAIO 2024
Tempo
21º
MIN 13º MÁX 21º

Inédito. Emília nadou dos Açores ao Continente e a viagem foi documentada

Investigadores da Universidade dos Açores estão a acompanhar a viagem de uma tartaruga-verde juvenil, uma espécie ameaçada, desde o arquipélago até à costa continental portuguesa, "um comportamento nunca antes registado", foi hoje revelado.

Inédito. Emília nadou dos Açores ao Continente e a viagem foi documentada
Notícias ao Minuto

15:25 - 07/03/24 por Lusa

País Algarve

A pequena tartaruga-verde, com 38 cm, atravessou o Oceano Atlântico até à costa continental portuguesa, percorrendo mais de 3.500 quilómetros em 210 dias.

De nome Emília, o réptil marinho foi marcado com um transmissor de dados por satélite em agosto de 2023 pela equipa do projeto de conservação Consolidating Sea Turtle Conservation in the Azores (COSTA), encontrando-se agora a sul de Portugal continental, segundo adiantou hoje o Instituto de Investigação em Ciências do Mar Okeanos da Universidade açoriana na ilha do Faial.

De acordo com os investigadores, trata-se da "primeira vez que uma tartaruga verde é seguida desde o arquipélago dos Açores até à costa continental portuguesa", sendo "um caso de estudo especial para a ciência".

O transmissor de dados colocado na carapaça da tartaruga permite recolher informação sobre a posição geográfica, o tempo passado à superfície, e a temperatura da água, explica a Universidade dos Açores, num comunicado de imprensa.

Segundo o Instituto de Investigação em Ciências do Mar, "a tartaruga-verde (Chelonia mydas), à semelhança de outras tartarugas marinhas, é um réptil de longa vida" e percorre "extensas distâncias", entre a praia onde nasce e a sua área de alimentação.

Atualmente, a espécie é considerada ameaçada na lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

"Depois de libertada junto à costa açoriana, Emília deu início a uma longa viagem, cruzando o Atlântico até à Galiza, descendo depois em direção a Peniche, onde permaneceu 15 dias, na zona da Praia do Baleal, continuando o seu rumo para sul", adiantou a Universidade dos Açores no comunicado.

Frederic Vandeperre, investigador principal da equipa COSTA, explicou que "o avistamento de tartarugas-verdes em território português é pouco comum, tratando-se de animais com habitat tropical ou subtropical".

"Sabe-se ainda que as tartarugas-verdes tendem a explorar as zonas costeiras durante a fase juvenil, onde se alimentam de algas e pequenos invertebrados. No entanto, os seus padrões de migração no Oceano Atlântico continuam a ser algo que desconhecemos", adiantou o investigador, citado na nota de imprensa.

Mafalda Sousa, investigadora da equipa COSTA, referiu que "esta é a primeira vez que uma tartaruga verde é seguida desde o Arquipélago dos Açores até à costa continental portuguesa".

Os investigadores assinalam que a viagem da Emília "continua a ser um mistério", podendo ou não rumar às águas mais quentes do Mediterrâneo nos próximos dias.

O seu percurso (e de outras tartarugas marcadas pela equipa COSTA no âmbito do projeto LIFE IP Azores Natura) pode ser acompanhado em tempo real através do link https://costaproject.org/ocean-biometrics/life-ip/

Leia Também: Algarve. Agricultura e golfe reduzem em 69% consumo de água em fevereiro

Recomendados para si

;
Campo obrigatório