Meteorologia

  • 12 ABRIL 2024
Tempo
26º
MIN 15º MÁX 27º

Estreia de Mortágua leva BE a 13 distritos com foco na saúde e habitação

Nas primeiras legislativas de Mariana Mortágua como líder, a campanha oficial do BE vai passar por 13 distritos, com forte aposta no contacto com a população e ações que traduzam os três eixos que são saúde, salários e habitação.

Estreia de Mortágua leva BE a 13 distritos com foco na saúde e habitação
Notícias ao Minuto

09:14 - 24/02/24 por Lusa

Política Legislativas

Mariana Mortágua leva o partido às eleições antecipadas de 10 de março antes de fazer um ano como coordenadora do BE e depois de nas últimas legislativas os bloquistas terem sofrido uma pesada derrota com a perda de metade dos votos e a redução para um grupo parlamentar de apenas cinco deputados.

Sob o lema "Fazer o que nunca foi feito", o BE parte para a estrada com o objetivo estabelecido pela líder bloquista, em entrevista à Lusa, de "crescer muito" nas próximas eleições, tendo desenhado para isso uma campanha que passará por 13 distritos durante o período oficial, que começa domingo, com forte aposta em Lisboa, Setúbal, Porto ou Braga, mas passando também por Leiria, Aveiro, Coimbra, Santarém, Beja e com idas a distritos do interior como Castelo Branco, Guarda, Évora ou Viseu.

"A partir do fim de semana vamos arrancar para um périplo que mais ou menos contabilizamos que seja de cinco mil quilómetros pelo país. Vamos passar por vários distritos e o objetivo é chegarmos ao fim desta campanha com a Mariana Mortágua a percorrer todos os distritos e regiões autónomas desde o início de janeiro", disse à Lusa o diretor de campanha do BE, Adriano Campos.

No primeiro dia oficial de campanha, a caravana dos bloquistas arranca na Marinha Grande e seguirá depois para Viseu para um almoço comício do Interior.

A volta pelos distritos, de acordo com o diretor de campanha, será centrada "na ideia da construção de uma maioria com a esquerda a partir dos três eixos" estabelecidos pelo BE que são saúde, salário e habitação.

"Vamos ter sempre uma grande componente de contacto com a população. Vamos apostar, mais do que em algumas campanhas anteriores, numa forte presença de rua, com mais arruadas do que tivemos no passado, com contacto a partir de questões locais muito especificas seja a questão do lítio na Argemela, seja a falar com utentes do SNS na Marinha Grande", exemplificou.

Da agenda voltam a fazer parte vários comícios, seja em formato de almoço ou jantar, seja comícios com intervenções políticas antecedidas de momentos musicais que decorrerão nos principais distritos onde o Bloco está a disputar a eleição de deputados e que se prevê que contem com as principais figuras do partido com os fundadores do BE Francisco Louçã, Fernando Rosas e Luís Fazenda.

"Um dos momentos mais importantes será o dia 03 de março com um grande comício nacional em Lisboa, como habitualmente já fazemos, mas este terá uma carga de maior importância porque já temos os oradores confirmados desse grande comício que serão Jorge Costa, Pedro Filipe Soares, Catarina Martins e Mariana Mortágua", adiantou.

Uma das novidades deste roteiro do BE pelo país está precisamente no encerramento, que será em Lisboa, distrito pelo qual Mariana Mortágua é cabeça de lista, ao contrário das eleições em que Catarina Martins estava à frente dos destinos do partido e era feito tradicionalmente no Porto.

"É muito simbólico a campanha do Bloco terminar no 08 de Março porque é um dos principais temas do partido, o feminismo e a luta contra a desigualdade e portanto nós este ano estamos a ponderar não termos a habitual arruada de final de campanha porque o que toda a gente espera é que o Bloco e a Mariana estejam presentes na manifestação do 08 de Março em Lisboa", disse, referindo que a seguir haverá ainda um jantar comício para encerrar a campanha.

De acordo com Adriano Campos, além da campanha principal e da caravana de Mariana Mortágua, o BE tem "uma intensa atividade de agenda B" em vários distritos que contam com diferentes dirigentes, deputados eleitos ou aqueles que os bloquistas querem eleger.

Leia Também: Mortágua quer investimento na cultura para acabar com "corda ao pescoço"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório