Meteorologia

  • 18 ABRIL 2024
Tempo
18º
MIN 16º MÁX 25º

Portugueses criam tratamento para travar doença de Machado-Joseph

Uma equipa liderada por investigadores da Universidade do Minho desenvolveu um tratamento "promissor" para reduzir a progressão de sintomas motores e de anomalias neuronais na doença de Machado-Joseph, foi hoje anunciado.

Portugueses criam tratamento para travar doença de Machado-Joseph
Notícias ao Minuto

13:37 - 21/02/24 por Lusa

País Machado-Joseph

Em comunicado, aquela academia explica que a investigação propõe um ácido do fígado como potencial fármaco.

A equipa usou, em animais, o ácido tauroursodeoxicólico (TUDCA), quer de forma injetada quer como suplemento nos alimentos.

Em ambos os casos, refere o comunicado, "registou-se nos modelos animais a redução de inflamação no cérebro, dos sinais de degeneração e da morte de neurónios, mas também uma clara melhoria dos sintomas motores e um atraso na progressão da doença".

"Estamos a abrir portas para uma possível opção terapêutica e identificamos um eventual alvo para desenvolver novos fármacos, trazendo esperança às famílias afetadas por esta doença crónica", diz Patrícia Maciel, do Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde (ICVS) da Escola de Medicina da Universidade do Minho.

Também conhecida como "doença do tropeção", a doença de Machado-Joseph é hereditária, rara e incapacitante, surgindo em geral na idade adulta e com sintomas motores progressivos, como desequilíbrio, descoordenação de movimentos e dificuldade a falar e a engolir.

A doença, que atinge entre 0,3 e 2 pessoas por cada 100 mil adultos, pode levar à paralisia total.

Não há ainda tratamento, existindo apenas opções de alívio temporário dos sintomas.

O estudo envolveu também cientistas das universidades do Porto, de Lisboa e de Toulouse (França).

Leia Também: Leucemia mieloide? Investigadores querem melhorar taxa de sobrevivência

Recomendados para si

;
Campo obrigatório