Meteorologia

  • 25 JULHO 2024
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 27º

Maioria dos enfermeiros dos hospitais do Tâmega e Sousa pediu escusa

A maioria dos enfermeiros dos hospitais de Penafiel e de Amarante, no distrito do Porto, diz não ter condições para assumir a segurança dos cuidados prestados, pedindo escusa de responsabilidade, foi hoje revelado.

Maioria dos enfermeiros dos hospitais do Tâmega e Sousa pediu escusa
Notícias ao Minuto

14:57 - 23/01/24 por Lusa

País Enfermeiros

"A situação é caótica, os enfermeiros estão exaustos. Chegamos a esta situação limite", afirmou o presidente do Conselho Diretivo do Norte da Ordem dos Enfermeiros, Miguel Vasconcelos.

Em declarações à agência Lusa, o responsável acrescentou que a situação se tem acentuado nos últimos meses naqueles hospitais, face ao pico da gripe, devido à falta de condições, sobretudo na urgência do Hospital Padre Américo (Penafiel), indicando que 78 dos 83 enfermeiros admitem que "não estão em condições de assegurar a vida e a segurança das pessoas e a qualidade dos cuidados de enfermagem".

Aquela posição dos profissionais, sinalizou, foi assumida num documento enviado à administração e à Entidade Reguladora da Saúde.

Hoje, contou, há cerca de 50 doentes internados em macas nos corredores das urgências da unidade hospitalar de Penafiel, mas esse número já foi de 90 noutros momentos.

"Isto não é novo, mas é humanamente impossível para os profissionais", observou.

O Hospital Padre Américo é a principal unidade hospitalar e a única com urgência médico-cirúrgica da recém-criada Unidade Local de Saúde (ULS) do Tâmega e Sousa (antigo Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa), que integra também o Hospital de São Gonçalo, em Amarante, além dos cuidados de saúde primários.

A ULS abrange 11 municípios e uma população de quase meio milhão de habitantes.

Aludindo à situação de sobrelotação da urgência do hospital do Penafiel, Miguel Vasconcelos reafirmou que enfermeiros e outros profissionais de saúde estão cansados da situação, lamentando que nada tenha sido feito para resolver os problemas que têm sido denunciados.

Na segunda-feira, o presidente da Câmara de Penafiel manifestou abertura ao diretor executivo do Serviço Nacional de Saúde para uma solução que permita ampliar o hospital da cidade e resolver as insuficiências do serviço de urgência, informou o município.

A Lusa contactou a ULS do Tâmega e Sousa, mas não foi possível obter uma reação até ao momento.

Leia Também: "Fuga". Mais de 1.600 enfermeiros saíram de Portugal em 2023

Recomendados para si

;
Campo obrigatório