Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
28º
MIN 18º MÁX 37º

Doentes urgentes. Tempos de espera variam entre 1h e quase 18h pelo país

O maior tempo de espera para doentes urgentes verifica-se no Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (Amadora-Sintra), no distrito de Lisboa.

Doentes urgentes. Tempos de espera variam entre 1h e quase 18h pelo país
Notícias ao Minuto

08:48 - 27/12/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Urgências

Os tempos médios de espera para doentes urgentes (com pulseira amarela) nos hospitais do país variam, esta quarta-feira de manhã, entre cerca de uma hora, no Hospital Litoral Alentejo, em Santiago do Cacém, até 13 horas no Hospital Fernando Fonseca, no concelho da Amadora, distrito de Lisboa.

Na região de Lisboa, os doentes urgentes do Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) têm um tempo médio de espera de 17 horas e 56 minutos. 

No Hospital Santa Maria, o tempo médio de espera era de oito horas e 18 minutos e no Hospital Beatriz Ângelo era de 14 horas e 12 minutos.

Na região do Norte, no Hospital de São João, no Porto, o tempo de espera é de duas horas e 31 minutos, enquanto no Hospital Santo António, o tempo de espera para doentes urgentes é de menos de uma hora (00h59).

No Hospital Pedro Hispano, em Matosinhos, o tempo de espera para doentes urgentes é de um hora e 18 minutos. Já no Hospital Eduardo Santos Silva, em Vila Nova de Gaia, o tempo de espera é de 10 horas e 12 minutos.

Na região do Algarve, o tempo de espera é de uma hora e 54 minutos no Hospital de Faro e na região do Alentejo, o tempo de espera para doentes urgentes é de 54 minutos no Hospital Litoral Alentejo, em Santiago do Cacém.

A triagem de Manchester, que permite avaliar o risco clínico do utente e atribuir um grau de prioridade, inclui cinco níveis: emergente (pulseira vermelha), muito urgente (laranja), urgente (amarelo), pouco urgente (verde) e não urgente (azul).

Nos casos de pulseira amarela, o primeiro atendimento não deve demorar mais de 60 minutos, e no caso da pulseira verde, a recomendação é que não vá além de 120 minutos (duas horas).

[Notícia atualizada às 09h32]

Leia Também: Homem de 48 anos morre em incêndio numa habitação na Sertã

Recomendados para si

;
Campo obrigatório