Meteorologia

  • 04 MARçO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 17º

Trabalhadores do JN protestam em frente ao Conselho de Ministros no Porto

Um grupo de cerca de meia centena de trabalhadores do Jornal de Noticias (JN) está a manifestar-se esta tarde em frente à Câmara Municipal de Porto, onde decorre a reunião do Conselho de Ministros.

Trabalhadores do JN protestam em frente ao Conselho de Ministros no Porto
Notícias ao Minuto

15:35 - 07/12/23 por Lusa

País JN

"Estamos aqui para mostrar indignação para com o despedimento coletivo anunciado, mostrar a força e importância do JN para cidade e para o país, queremos mostrar que não vai ser fácil acabar com o JN", afirmou à Lusa o dirigente do Sindicato dos Jornalista (SJ), Augusto Correia.

Os trabalhadores do JN percorreram as ruas da cidade desde "a torre do JN", onde aquele diário funcionou até alguns meses, até à Avenida dos Aliados, onde estão agora concentrados e onde avisam que com "a redação vazia não há democracia" e que "o JN não vai embora".

Em comunicado interno, na quarta-feira, o grupo detentor do JN, o Global Media Group (GMG) anunciou que vai negociar "com caráter de urgência" rescisões com 150 a 200 trabalhadores e avançar com uma reestruturação para evitar "a mais do que previsível falência do grupo".

De acordo com o comunicado, a que a agência Lusa teve acesso, os acordos de rescisão serão negociados "num universo entre 150 e 200 trabalhadores nas diversas áreas e marcas" do grupo, sendo o objetivo "evitar um processo de despedimento coletivo" que, segundo a Comissão Executiva, "apenas será opção em último caso".

"Face aos constrangimentos financeiros criados pela anulação do negócio da Lusa", a administração do GMG avança ainda que "o pagamento do subsídio de Natal referente ao ano de 2023 só poderá ser efetuado através de duodécimos, acrescido nos vencimentos de janeiro a dezembro do próximo ano".

Leia Também: Sindicato saúda greve do JN face a ameaça de despedimento coletivo

Recomendados para si

;
Campo obrigatório