Meteorologia

  • 03 MARçO 2024
Tempo
14º
MIN 9º MÁX 16º

Na próxima semana, serviços de urgência com limitações aumentam para 39

Estes dados encontram-se no novo plano divulgado pela Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS).

Na próxima semana, serviços de urgência com limitações aumentam para 39
Notícias ao Minuto

17:20 - 01/12/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

País SNS

Trinta e nove serviços de urgência em todo o país vão apresentar constrangimentos nalgumas especialidades na próxima semana (3 a 9 de dezembro), enquanto apenas 44 vão funcionar em pleno.

Estes dados encontram-se no novo plano divulgado pela Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS) a que o Notícias ao Minuto teve acesso e que diz respeito ao total de 83 pontos de urgência existentes em todo o país.

O plano indica que as especialidades com mais constrangimentos nas urgências são cirurgia geral, pediatria, ortopedia e ginecologia e obstetrícia, mas há cinco hospitais que apresentam em alguns dias limitações nas urgências da Via Verde AVC, designadamente Viana do Castelo, Guimarães, Guarda, Leiria, Santarém e Garcia de Orta, em Almada.

Na Região Norte, que tem 29 pontos de urgência, serão afetados 13 urgências em algumas especialidades, no Centro estarão limitados oito dos 17 pontos e na Região de Lisboa e Vale do Tejo 15 das 19 urgências estarão a funcionar condicionadas em algumas especialidades.

A Região do Alentejo tem um dos 12 pontos de urgência limitados e no Algarve duas das seis urgências estarão condicionadas.

Perante os dados, é de realçar que na próxima semana - de 3 a 9 de dezembro - as urgências no país vão ter serviços mais limitado que esta semana - 26 de novembro a 2 de dezembro - que apresentou um total de trinta e seis serviços de urgência limitados.

"Esta semana será importante para avaliar os efeitos dos recentes acordos com os médicos e os impactos que poderão ter na organização das escalas, de forma a se planear a resposta até ao final do ano", lê-se ainda.

No documento hoje divulgado, a DE-SNS volta a lembrar que os serviços de urgência devem dar prioridade à receção/admissão/triagem dos doentes transportados em ambulâncias e encaminhados pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM, para "libertar rapidamente os meios para resposta a novas ocorrências".

Admitindo que, face às condicionantes da situação atual, pode haver constrangimentos acrescidos no acesso aos serviços de urgência, com principal impacto nos casos menos graves.

A DE-SNS diz igualmente que os cuidados de saúde primários devem reorganizar-se e assegurar períodos de atendimento não programado para doentes com patologia aguda, nomeadamente enviados pelo SNS24.

Quanto aos cuidados hospitalares, devem reforçar as respostas para os casos de agudização de doentes crónicos, já seguidos nas respetivas unidades hospitalares, seja em consulta não programada, hospital de dia ou hospitalização domiciliária.

Mais uma vez, insiste que os doentes devem, sempre que possível, em caso de doença aguda, ligar previamente para a Linha SNS24 (808 242 424).

Em situações de urgência ou emergência, deverão contactar o 112, que encaminhará a chamada para o INEM, acrescenta.

Este é o quarto plano de reorganização das urgências desenhado pela DE-SNS, que é revisto semanalmente.

Leia Também: Urgência básica de Monção encerra ao fim de semana partir de sexta-feira

Recomendados para si

;
Campo obrigatório