Meteorologia

  • 05 MARçO 2024
Tempo
16º
MIN 8º MÁX 16º

Portugal defende renovação de missão de treino da UE em Moçambique

O embaixador de Portugal em Moçambique, António Costa Moura, prometeu hoje que vai lutar para que a Missão de Treino da União Europeia em Moçambique (EUTM-MOZ, sigla em inglês) renove o seu mandato.

Portugal defende renovação de missão de treino da UE em Moçambique
Notícias ao Minuto

19:05 - 30/11/23 por Lusa

País António Costa Moura

Portugal está e estará sempre na linha da frente da ajuda a Moçambique para combater este flagelo [o terrorismo em Cabo Delgado]. Nós somos os maiores participantes da missão de treino da União Europeia e vamos lutar para que esta missão seja renovada”, declarou à Lusa António Costa Moura, à margem de um encontro que manteve com a Comunidade Islâmica de Cabo Delgado em Pemba, capital provincial de Cabo Delgado, norte de Moçambique.

Com um mandato de dois anos, iniciado em setembro de 2022, a EUTM-MOZ vai avaliar, com as autoridades moçambicanas, o futuro da sua presença em Moçambique, até ao final deste ano, tendo já formado cerca de 60 instrutores moçambicanos que vão continuar o treino de forças especiais, sobretudo para militares na linha frente no combate aos rebeldes em Cabo Delgado.

Além de fornecer treino operativo para a formação de forças de ocorrência rápida (QRF, em inglês), a EUTM-MOZ também forneceu equipamento de combate aos membros dessas unidades, ultrapassando já 80 milhões de euros o valor do material de apoio prestado.

Para Portugal, é fundamental que a formação continue, apesar dos resultados "positivos" que Moçambique não registaram combate aos rebeldes na província de Cabo Delgado desde a chegada ao terreno das forças do Ruanda e da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

“Vamos lutar para que o mandato da missão seja renovado e para que continuem a formação dos militares moçambicanos para os habilitar a combater o flagelo que é o terrorismo”, declarou o diplomata português, que constatou e destacou melhorias na situação de segurança.

O mandato da EUTM-MOZ prevê a formação de 11 unidades de QRF moçambicanas, sendo que cada uma tem uma composição equivalente a uma companhia militar.

A missão atual é fornecida por um contingente de 117 pessoas, 65 das quais de Portugal, país que também herdou o comando da EUTM-MOZ.

A província de Cabo Delgado enfrentou há seis anos uma insurgência armada com alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico e seus afiliados.

A insurgência levou a uma resposta militar, apoiada desde julho de 2021 por Ruanda e pela SADC, que permitiu libertar distritos junto aos projetos de gás, tendo surgido entretando novas vagas de ataques no sul da região e na vizinha província de Nampula.

O conflito já fez um milhão de deslocados, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), e cerca de 4.000 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos, ACLED.

Leia Também: Moçambique. Nova tabela salarial travou pagamento a horas extraordinárias

Recomendados para si

;
Campo obrigatório