Meteorologia

  • 25 FEVEREIRO 2024
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 18º

Pais de suspeito de crime na Murtosa também são investigados pela PJ

Pais de Fernando Valente também estão na mira das autoridades.

Pais de suspeito de crime na Murtosa também são investigados pela PJ
Notícias ao Minuto

16:37 - 28/11/23 por Notícias ao Minuto

País PJ

A Polícia Judiciária (PJ) está a investigar os pais de Fernando Valente, principal suspeito do homicídio de Mónica Silva,  grávida que desapareceu na Murtosa, no distrito de Aveiro, há cerca de um mês e meio, e cujo corpo continua por encontrar.

Segundo avança a TVI, a PJ está não só a investigar Fernando Valente, mas também os seus pais, tendo pedido não só acesso às contas bancárias do homem, que teria um relacionamento com Mónica, mas também dos seus progenitores, de forma a saber o que compraram, como o fizeram e em que locais terão usado o cartão multibanco.

Além disso, a autoridade investiga também um segundo telemóvel que foi descoberto apenas durante as buscas domiciliárias - e que terá sido ocultado por Fernando Valente - que permitiu perceber o contacto existente entre suspeito e vítima. A PJ está a esmiuçar os registos telefónicos deste número oculto e procura saber, entre vários detalhes, como foi carregado este telemóvel e através de que conta, procurando provas de que este usava mesmo o aparelho em questão, uma vez que Fernando continuará a negá-lo.

De realçar que a PJ mantém as buscas pelo corpo e o principal suspeito permanece detido, mas não descarta qualquer hipóteses, incluindo a possibilidade de o suspeito ter tido cúmplices no crime.

Note-se que, entre os dias 2 e 3 de outubro, Mónica Silva terá recebido várias chamadas do principal suspeito. No dia do desaparecimento, a última chamada deu-se por volta das 21h00, altura em que Mónica saiu de casa depois de ter jantado com os filhos. Aqui, o telefone da mulher acionou antenas a 800 metros da sua casa. Quatro horas depois, pelas 01h50, já no dia 4, desligar-se-ia.

É ligado novamente pelas 16h00, a 400 quilómetros de distância, em Cuba, no Alentejo - localidade onde os pais de Fernando têm uma propriedade.  Contudo, os registos do telemóvel do suspeito colocam-no na Torreira, em Aveiro. É aqui que entra a possibilidade de haver um outro envolvido no desaparecimento. 

Fernando Valente foi detido pela Polícia Judiciária de Aveiro na noite de quarta-feira, dia 15, na sequência de buscas realizadas a diversas propriedades e veículos pertencentes à família do suspeito.

O detido, que ficou em preventiva, é um homem com quem a vítima de 33 anos terá tido um relacionamento amoroso e que alegadamente será o pai do bebé que espera.

A mulher, grávida de sete meses, foi vista pela última vez a 3 de outubro, quando saiu de casa com as ecografias da gravidez, ligando pouco depois ao filho a dizer que estava a regressar, o que não chegou a acontecer.
 
A família participou o desaparecimento junto da GNR da Murtosa no dia seguinte, tendo sido levadas a cabo buscas que, até ao momento, se revelaram infrutíferas.

Os pais de Fernando asseguram que o filho está inocente e abandonaram a casa da família com medo de represálias.

Leia Também: PJ admite que exista cúmplice no desaparecimento da grávida da Murtosa

Recomendados para si

;
Campo obrigatório