Meteorologia

  • 16 ABRIL 2024
Tempo
26º
MIN 13º MÁX 26º

Candidatos do PSD/Madeira às legislativas anunciados a 13 de dezembro

A lista de candidatos do PSD/Madeira às eleições legislativas nacionais de 10 de março será anunciada em 13 de dezembro, revelou hoje o presidente dos sociais-democratas madeirenses, Miguel Albuquerque.

Candidatos do PSD/Madeira às legislativas anunciados a 13 de dezembro
Notícias ao Minuto

18:23 - 27/11/23 por Lusa

País PSD/Madeira

"Vamos anunciar, em princípio, a nossa candidatura no dia 13 de dezembro. Vamos fazer a reunião da Comissão Política e o do Conselho Regional no mesmo dia e vamos apresentar os candidatos e demais deliberações necessárias", disse o líder do PSD/Madeira e presidente do Governo Regional aos jornalistas.

Miguel Albuquerque falava à margem da cerimónia de entrega de prémios às bordadeiras de casa, onde esteve presente na qualidade de presidente do Governo Regional da Madeira.

Segundo o social-democrata, "um dos pontos" é se o PSD/Madeira vai concorrer "em coligação ou não" no próximo ato eleitoral.

O presidente do PSD/Madeira disse que ainda "não tem definido" o leque de candidatos e que a lista está "em processo de elaboração", admitindo que "há sempre refrescamento e é natural que aconteça" na candidatura.

São eleitos pelo círculo da Região Autónoma da Madeira seis deputados, três do PSD/CDS-PP e três do PS.

Portugal vai ter eleições legislativas antecipadas em 10 de março de 2024, marcadas pelo Presidente da República, na sequência da demissão do primeiro-ministro.

António Costa apresentou a sua demissão em 07 de novembro, por causa de uma investigação judicial sobre a instalação de um centro de dados em Sines e negócios do lítio e do hidrogénio, que levou o Ministério Público a instaurar um inquérito autónomo no Supremo Tribunal de Justiça em que é visado.

O MP considera que houve intervenção do primeiro-ministro na aprovação de um diploma favorável aos interesses da empresa Start Campus, responsável pelo centro de dados, de acordo com a indiciação, que contém várias outras referências a António Costa.

No dia da demissão, Costa recusou a prática "de qualquer ato ilícito ou censurável".

[Notícia atualizada às 18h33]

Leia Também: "Vencemos o socialismo em Lisboa, venceremos no país", garante Moedas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório