Meteorologia

  • 13 JULHO 2024
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 25º

"Acelerador das carreiras" garante progressão de 4.500 professores

Os novos mecanismos de aceleração de progressão na carreira, aprovados este ano, garantiram, para já, a passagem aos 5.º e 7.º escalões de 4.500 professores, que ficaram isentos de vaga, anunciou hoje o ministro da Educação.

"Acelerador das carreiras" garante progressão de 4.500 professores
Notícias ao Minuto

17:48 - 16/11/23 por Lusa

País Ministro da Educação

Estes professores que, de outra forma, teriam de ficar a aguardar vaga, juntam-se aos perto de quatro mil colegas que progrediram na carreira através da disponibilização de vagas, totalizando cerca de 8.400 docentes.

Em declarações à agência Lusa, o ministro da Educação explicou que, assim, ficam a aguardar vaga para o 5.º escalão 404 professores e 115 para o 7.º escalão, o que representa quase 10 vezes menos em virtude do mecanismo de aceleração.  

As listas foram publicadas hoje na página da internet da Direção-Geral da Administração Escolar.

"Ao longo dos próximos anos, o número dos docentes que ficam a aguardar vaga será sempre muito baixo", disse João Costa.

De acordo com o Ministério da Educação, a passagem do 4.º para o 5.º escalão corresponde a um aumento salarial de 156,45 euros por mês e de 248,49 euros no caso daqueles que passam para o 7.º escalão, com efeitos retroativos a 01 de janeiro.

A isenção de vaga é um dos vários mecanismos criados este ano para compensar os professores que trabalharam durante os dois períodos de congelamento do tempo de serviço, entre 2005 e 2017, com um impacto orçamental de cerca de 13 milhões de euros.

"Este instrumento produz efeitos imediatos para muitos professores e, em 2024, prevê-se que vá afetar, nas várias medidas que comporta, cerca de 29 mil professores", disse o ministro, considerando que "valeu a pena este esforço para conseguirmos valorizar a carreira dos professores".

Além da isenção de vaga, está prevista a recuperação do tempo em que ficaram a aguardar vaga nos 4.º e 6.º escalões a partir do ano de descongelamento (2018) e a redução de um ano na duração do escalão para aqueles que também ficaram à espera de vaga, mas já estão acima do 6.º escalão.

Leia Também: Adesão à greve nas escolas "deverá aumentar no final da semana"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório