Meteorologia

  • 28 MAIO 2024
Tempo
17º
MIN 14º MÁX 28º

Morreu a escritora Margarida Tengarrinha. Tinha 95 anos

A resistente antifascista e militante do PCP tinha 95 anos. Cerimónias fúnebres realizam-se no dia 31 de outubro.

Morreu a escritora Margarida Tengarrinha. Tinha 95 anos
Notícias ao Minuto

15:55 - 26/10/23 por Notícias ao Minuto

País Margarida Tengarrinha

Morreu, esta quinta-feira, aos 95 anos, Margarida Tengarrinha. A morte da artista e escritora foi confirmada ao Notícias ao Minuto pelo Partido Comunista Português (PCP).

O partido acabou por emitir uma nota, na qual expressou "profundo pesar" pela morte da artista, tendo ainda revelado que o corpo de Margarida Tengarrinha estará em câmara ardente na Casa Mortuária da Igreja do Colégio em Portimão, na terça-feira, dia 31 de Outubro, a partir das 09h30. Pelas 12h30 sairá para o crematório de Albufeira. A cremação realizar-se-á às 14h00.

Nascida em Portimão, em 1928, Margarida Tengarrinha foi militante e dirigente do PCP.

Foi na Escola de Belas Artes, em Lisboa, em 1948, que iniciou a sua atividade política, pelo Movimento de Unidade Democrática Juvenil (MUD). Manifestou-se pela saída de Portugal da NATO e contra a cimeira da Aliança em 1952 na capital portuguesa, o que viria a ditar a sua expulsão, no mesmo ano, da Escola de Belas Artes.

Nessa altura viria a conhecer o companheiro e pai das duas filhas, o artista José Dias Coelho, e tornar-se-ia também membro do Partido Comunista, com 24 anos.

Tal colo lembra o PCP, Margarida Tengarrinha passou à clandestinidade em finais de 1954. A "sua primeira tarefa foi então a criação", com José Dias Coelho da '"oficina' de produção de documentos de identificação e outros necessários à intervenção clandestina do partido".

Em 1962, após o assassinato de José Dias Coelho pela PIDE, Margarida Tengarrinha "foi para o exterior tendo exercido tarefas na Rádio Portugal Livre. Em 1968 regressa a Portugal, tendo participado na redacção do Avante! e do jornal A Terra". Foi responsável pelos organismos do Trabalho Camponês da Organização do Norte e posteriormente de Lisboa.

Foi membro do Comité Central do PCP desde maio de 1974 até 1988.

Após o 25 de Abril de 1974, integrou a Direção da Organização Regional de Lisboa, a Comissão para o Trabalho com os Pequenos e Médios Agricultores e a Comissão para a Reforma Agrária.

Em 1979 e 1983 foi eleita deputada à Assembleia da República pelo Algarve. Em 1986 regressou a Portimão e integrou a Direção da Organização Regional do Algarve do PCP.

"Ao longo dos anos, Margarida Tengarrinha publicou diversos livros sobre pintura, cultura popular e sobre a sua experiência e intervenção enquanto funcionária do PCP. Tem também uma vasta obra de artes plásticas. Foi professora na Universidade Sénior de Portimão onde leccionava História das Artes", frisa o PCP.

Margarida Tengarrinha "teve uma vida inteiramente dedicada à luta e intervenção pela emancipação dos povos, pela democracia, o progresso social, a paz e o socialismo".

[Notícia atualizada às 17h30]

Leia Também: PCP do Porto defende que proposta "não tem respostas" para a região

Recomendados para si

;
Campo obrigatório