Meteorologia

  • 01 MARçO 2024
Tempo
11º
MIN 10º MÁX 15º

Ativistas interrompem trânsito na 2.ª Circular. Condutores retiraram-nos

Grupo sentou-se na estrada, mas foi removido pelos condutores que se cruzaram com os jovens.

Notícias ao Minuto

09:29 - 03/10/23 por Notícias ao Minuto com Lusa

País Ativismo

Um grupo de jovens ativistas interrompeu, temporariamente, o trânsito na Segunda Circular, no sentido Benfica-Aeroporto, junto às Torres de Lisboa, onde se situa a sede da Galp. Tratar-se-á de uma ação pelo clima, organizada pelo movimento Climáximo, avança a TSF.

O protesto - que começou por volta das 9h00 - foi, no entanto, curto, com os condutores que passavam naquele local a removerem fisicamente os ativistas da via. O trânsito foi condicionado, ficando a circulação limitada apenas à via mais à esquerda, neste sentido.

A ocorrência foi confirmada pelo Notícias ao Minuto junto da Polícia de Segurança Pública, que se encontra no local, onde estão também os Sapadores Bombeiros de Lisboa.

Dois ativistas penduraram-se, entretanto, da ponte pedonal junto à sede da Galp, segurando uma tarja onde se lia: "Os governos e as empresas declararam guerra à sociedade e ao planeta".

Os vídeos e as fotografias do protesto, que estão a circular nas redes sociais, mostram os manifestantes em protesto, segurando cartazes de apelo ao fim dos combustíveis fósseis, com frases como "Estão a destruir tudo o que tu amas" ou "Os Governos e as empresas declararam guerra à sociedade e ao planeta".

"Vários ativistas foram levados do local pela PSP, enquanto os bombeiros foram chamados para remover os ativistas pendurados", refere o movimento Climáximo, em comunicado enviado para as redações.

O porta-voz na ação, Noah Zino, voltou hoje a lembrar que "as emissões de 2021 condenaram à morte nove milhões de pessoas" e que "a cada dois dias, só as emissões de Portugal matam mais do que os incêndios de Pedrógão".

"Há décadas que os governos e as empresas sabem da destruição e morte da crise climática, e escolheram continuar a queimar combustíveis fósseis, apesar de haver alternativas mais baratas e seguras disponíveis", acrescentou o porta-voz.

De recordar que, no passado dia 26, o ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, foi atacado em palco por três ativistas climáticos durante a abertura da CNN Portugal Summit, em Lisboa, uma conferência sobre transição energética em que participam as empresas Galp e EDP.

No dia seguinte, um grupo de jovens ativistas pelo clima realizou um protesto na Feira Internacional de Lisboa (FIL) onde decorria o World Aviation Festival, tendo atirado tinta vermelha contra uma parede do edifício e interrompido a sessão de debate que decorria no interior.

Imagens do protesto de hoje começaram já a surgir nas redes sociais. Pode vê-las em baixo:

[Notícia atualizada às 10h54]

Leia Também: Ativista multada em 250 euros por filmar protesto pelo clima em Oeiras

Recomendados para si

;
Campo obrigatório