Meteorologia

  • 18 JULHO 2024
Tempo
31º
MIN 17º MÁX 33º

Escolas têm "cada vez mais" computadores avariados e fora da garantia

As escolas estão a receber cada vez mais computadores avariados que se vão amontoando em espaços improvisados, porque já estão fora da garantia e faltam técnicos informáticos que os possam arranjar, alertaram diretores.

Escolas têm "cada vez mais" computadores avariados e fora da garantia
Notícias ao Minuto

16:49 - 25/09/23 por Lusa

País Educação

No Agrupamento de Escolas Cego do Maio, no Porto, estão armazenados "mais de 70 computadores avariados", contou à Lusa o diretor Arlindo Ferreira, mostrando fotografias de dezenas de mochilas amontoadas em prateleiras à espera de uma solução.

O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), Manuel Pereira, garantiu que este é um problema nacional: "Todos nós temos computadores já fora da garantia e há cada vez mais a avariar. Os computadores são cedidos pelo ministério e, quando não funcionam, os pais dirigem-se às escolas".

Manuel Pereira, que é também diretor do Agrupamento General Serpa Pinto, em Cinfães, estima ter entre "30 a 40 computadores guardados nos sítios mais caricatos".

No Agrupamento de Escolas Dr. Costa Matos, em Vila Nova de Gaia, há outras três dezenas, segundo uma estimativa do diretor Filinto Lima, que é também presidente da Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas (ANDAEP).

Muitos destes equipamentos já perderam a garantia, sublinharam os diretores com quem a Lusa falou, lembrando que os primeiros 'kits' entregues aos alunos tinham uma garantia de dois anos, que terminou em 2022 e "os equipamentos da Fase 2 tinham uma garantia que acabou em abril 2023", disse Arlindo Ferreira.

Fora da garantia, o custo do arranjo passa para as famílias que, muitas vezes, se recusam a pagar. Uma professora contou à Lusa o caso de um aluno que recebeu um computador e, passados poucos dias, a bateria deixou de funcionar: "Não foi mau uso e o pai sentiu que não deveria ser ele a pagar, uma vez que o equipamento deixou de funcionar logo após lhe ter sido entregue".

O presidente da ANDE, que fez questão de salientar a importância do projeto de digitalização das escolas, defende que as garantias dos equipamentos deveriam ser alargadas e as escolas deveriam ter mecanismos que permitissem resolver rapidamente estes problemas.

À Lusa, a presidente da Associação Nacional de Professores de Informática (ANPRI) corrobora que há "casos de portáteis avariados que neste momento já não estão no prazo de validade da garantia" e que "as escolas aguardam indicações sobre como proceder".

Arlindo Ferreira garantiu que a situação já foi reportada ao Ministério da Educação, que prometeu "uma extensão das garantias, mas até hoje ainda não aconteceu nada".

Para os diretores, a falta de técnicos informáticos nas escolas também agrava o problema. Filinto Lima defendeu que a solução deveria passar por ter "um técnico informático em cada escola, para despistar pequenas avarias e evitar enviar para arranjo numa empresa".

Quando os computadores perderam a garantia e as famílias se recusam a pagar o arranjo, algumas escolas arriscam e abrem os equipamentos na esperança de os conseguir arranjar, contou à Lusa uma professora.

"A escola não tem técnicos e, muitas vezes, é graças à carolice de uns professores e funcionários que conseguimos arranjar alguns computadores", disse, explicando que evitam enviar para as empresas porque depois "ficam lá presos, os orçamentos são volumosos e os pais acham que não se justificam".

"Também existem casos de alguns computadores avariados que foram enviados para os fornecedores e demoram a ser devolvidos", acrescentou a presidente da ANPRI, Fernanda Ledesma.

Questionado pela Lusa sobre a não renovação das garantias caducadas, o Ministério da Educação referiu apenas que "na medida em que os equipamentos foram adquiridos em diferentes momentos, a vigência das garantias também é variável".

Leia Também: Professor de Ponte de Lima colocado a 430 km de casa dorme no carro

Recomendados para si

;
Campo obrigatório