Meteorologia

  • 22 JULHO 2024
Tempo
36º
MIN 18º MÁX 37º

Sindicato dos Funcionários Judiciais: "Ministra nunca reuniu connosco"

A paralisação está prevista durar até 14 de julho, de forma descontinuada. O líder do Sindicato dos Funcionários Judiciais disse que o que o setor quer já é promessa de quando o atual primeiro-ministro, António Costa, ocupava o cargo de ministro da Justiça, no início do século.

Sindicato dos Funcionários Judiciais: "Ministra nunca reuniu connosco"

O presidente do Sindicato dos Funcionários Judiciais (SFJ), António Murça, reiterou que o que estava em causa no âmbito da greve que se iniciou na segunda-feira – e que dura, de forma descontinuada, até 14 de julho – é “a integração do suplemento”.

Em declarações à SIC, António Murça recordou que o assunto dos suplementos em questão já era um assunto no início do século, quando o atual primeiro-ministro, António Costa, ocupava outro cargo.

“O que está em cima da mesa é a integração do suplemento – já prometido por António Costa quando foi ministro da Justiça – portanto, há mais de 20 anos”, recordou, acrescentando que as lutas levadas a cabo por estes funcionários dizem respeito a, efetivamente, “cumprir uma decisão do tribunal que manda fazer as promoções” tal como deveriam ter vindo a ser efitas.

“A nada disto a ministra da Justiça dá resposta”, acusou, acrescentando que a responsável pela tutela, Catarina Sarmento e Castro, acaba por remeter a situação “para o estatuto”.

O líder sindical referiu ainda que a responsável pela pasta da Justiça nunca se reuniu com o SFJ. “Não há nenhuma reunião agendada, e ao contrário do que diz a ministra, nunca reuniu connosco”, atirou, explicando que no início do mandato “mandou cumprimentos”, mas que as situações foram sendo remetidas para negociações com o secretário de Estado, Pedro Tavares.

“De palpável, de concreto, não existe nada”, considerou.  

Leia Também: Funcionários judiciais iniciam esta segunda-feira nova greve atípica

Recomendados para si

;
Campo obrigatório