Meteorologia

  • 23 JULHO 2024
Tempo
27º
MIN 23º MÁX 37º

Lisboa Central e Norte com urgência metropolitana de Gastro e Urologia

A urgência metropolitana de Gastroenterologia e Urologia em Lisboa passa a partir de segunda-feira a ser garantida durante o dia pelos centros hospitalares universitários Lisboa Norte e Central e à noite funcionará em polo único, com rotação semanal.

Lisboa Central e Norte com urgência metropolitana de Gastro e Urologia
Notícias ao Minuto

09:29 - 05/05/23 por Lusa

País Urgências

Segundo anunciou hoje a Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (DE-SNS), à noite (20h00/08h00) a urgência metropolitana destas duas especialidades funcionará em polo único, a rodar semanalmente, mas enquanto a Gastrenterologia será em prevenção a Urologia será em presença física.

Na Urologia, o polo que não estiver ativo no horário noturno mantém-se contudo de prevenção, em apoio aos doentes internados e aos que se encontrem na urgência externa do respetivo hospital, até às 20h00, sob responsabilidade desta especialidade.

O Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) abrange os hospitais Santa Maria e Pulido Valente e o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Central (CHULC) os de São José, Capuchos, Santa Marta, Estefânia, Curry Cabral e Maternidade Alfredo da Costa.

Nas restantes instituições da Área Metropolitana de Lisboa (AML), deverá ser aplicada a solução discutida com a comissão executiva criada pelo Ministério da Saúde para rever a organização das urgências em Lisboa e Porto e pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), "sendo que será alvo de monitorização contínua pela DE-SNS, com o objetivo da maioria dos doentes poder ser observado e tratado em proximidade".

A direção executiva sublinha que estas decisões foram tomadas envolvendo os serviços e sublinha o objetivo de "assegurar a coesão territorial e a equidade na prestação das respostas em saúde, tendo como perspetiva a abordagem utilizada neste âmbito nos países europeus".

Indica ainda que, na Gastrenterologia, os hospitais com maior responsabilidade assistencial, pela dimensão dos respetivos serviços e das áreas geográficas e populacionais abrangidas - nomeadamente o Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, o Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca e o Hospital Garcia da Orta - devem reforçar a organização e capacidade interna para responderem à generalidade das situações urgentes, "evitando a transferência de doentes" para o polo central que estiver em funcionamento.

Na Urologia a DE-SNS dá a mesma indicação de reforço de organização e capacidade interna para evitar transferir doentes, apontando nomeadamente o Hospital Professor Doutor Fernando Fonseca.

Segundo a direção executiva, na Gastrenterologia, a equipa de enfermagem "deverá ser específica e dedicada ao apoio do centro de endoscopia" e os procedimentos urgentes de Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica (CPRE) - exame de parte do sistema digestivo - deverão ser assegurados pelo polo ativo da urgência metropolitana, "como forma de garantir uma resposta institucional em tempo útil".

A equipa clínica tipo recomendada tanto na Gastrenterologia como na Urologia deverá ser constituída por um especialista e um interno da especialidade em causa.

Na informação hoje divulgada, a direção executiva do SNS lembra igualmente que o trabalho em rede, além de constituir "um mecanismo eficaz de gestão de risco", "promove a uniformidade de critérios clínicos no acesso e nas intervenções em saúde, com evidente benefício para os utentes".

"O conceito de Urgência Metropolitana visa garantir a existência permanente de uma rede de segurança local e regional em apoio ao doente urgente/emergente mais grave, de forma articulada entre as diversas unidades de saúde responsáveis pela manutenção da capacidade assistencial na área geográfica e junto das populações em causa", justifica.

Recorda ainda que, no caso da Gastrenterologia e da Urologia, já existem, em funcionamento regular, urgência concentradas na Área Metropolitana do Porto. Na Urologia este sistema avançou este ano igualmente na Região do Minho, com o apoio de profissionais de várias instituições.

[Notícia atualizada às 10h04]

Leia Também: OM garante que proposta para urgências de obstetrícia não reduz equipas

Recomendados para si

;
Campo obrigatório