Meteorologia

  • 02 JUNHO 2020
Tempo
23º
MIN 18º MÁX 26º

Edição

Campanha de recolha de alimentos vai decorrer também em Angola

O Banco Alimentar Contra a Fome inicia no próximo fim de semana mais uma campanha nacional de recolha de alimentos, que este ano, pela primeira vez, terá uma campanha idêntica em Angola, disse à Lusa a presidente da instituição.

Campanha de recolha de alimentos vai decorrer também em Angola

"Temos este ano a primeira campanha do Banco Alimentar em Angola", que vai decorrer em 10 superfícies comerciais angolanas, contando com o apoio de voluntários, mas também de empresas portuguesas que estão a trabalhar em Luanda, adiantou Isabel Jonet.

A presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome afirmou que, "apesar da realidade de Angola ser completamente distinta de Portugal", é importante "poder replicar" a outros países "o conceito e o modelo do Banco Alimentar de luta contra o desperdício para dar de comer a quem tem fome".

Esta ação "representa um novo passo no processo de lançamento de bancos alimentares noutros países de língua oficial portuguesa com o duplo objetivo de minimizar carências e lutar contra o desperdício de alimentos", sublinhou.

A campanha de recolha de alimentos em Portugal tem este ano como lema "Receitas simples para grandes problemas" e vai decorrer em 1.955 lojas de todo o país, com a presença 40.800 voluntários.

Sobre as perspetivas para esta campanha, Isabel Jonet disse à Lusa que "vai ser o melhor que poderá ser face às circunstâncias atuais".

"As minhas perspetivas só depois da campanha. Os portugueses já conhecem o Banco Alimentar, confiam e sabem que os produtos que dão na campanha chegam à mesa de quem mais precisa", sublinhou.

Isabel Jonet acrescentou que os portugueses conhecem a "receita simples" do Banco Alimentar, que "consiste em somar pequenas contribuições individuais para alcançar um todo muito significativo, que permite minorar carências crescentes e comprovadas" de muitos portugueses, que "doutro modo ficariam completamente desapoiados".

"Sabemos que há imensas necessidades e cá estamos para dar resposta", sustentou.

Na campanha do ano passado, foram recolhidas 2.445 toneladas de alimentos, um decréscimo relativamente a 2012, quando foram angariadas 2.644 toneladas.

Além da tradicional campanha, os portugueses podem contribuir para o BA até 08 de junho, através da "Ajuda Vale", pedindo um vale com um código de barras específico para os produtos para o Banco Alimentar nas caixas dos supermercados.

Estes vales estarão também disponíveis, pela primeira vez, em mais de 300 postos de abastecimento de combustível.

Os portugueses também podem contribuir através da plataforma eletrónica www.alimentestaideia.net, que visa permitir a participação na campanha de pessoas que habitualmente não se deslocam ao supermercado ou que residam fora de Portugal.

Segundo dados da federação dos bancos alimentares, em 2013 foram apoiadas 2.254 instituições de solidariedade que entregaram os produtos alimentares a mais de 375 mil pessoas, num total de 23.811 toneladas de alimentos (com o valor estimado de 33.935 milhões de euros).

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório