Meteorologia

  • 04 MARçO 2024
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 17º

Suspeito de atropelar mortalmente homem ao fugir da polícia em julgamento

Um homem de 30 anos, suspeito de ter atropelado mortalmente outra pessoa, em Coimbra, depois de se ter posto em fuga da polícia, em outubro de 2019, vai ser julgado em Coimbra pelo crime de homicídio qualificado.

Suspeito de atropelar mortalmente homem ao fugir da polícia em julgamento
Notícias ao Minuto

12:46 - 17/03/23 por Lusa

País Coimbra

O alegado crime ocorreu em 04 de outubro de 2019, sendo o jovem, serralheiro natural de Coimbra, acusado de um crime de homicídio qualificado, um crime de condução perigosa e um crime de sequestro.

O início do julgamento está marcado para terça-feira, às 09:15, no Tribunal de Coimbra.

Segundo a acusação a que a agência Lusa teve acesso, por volta das 02:00, o jovem ter-se-á deslocado no seu carro, um Honda Civic preto, até à Rua Pedro Olaio, junto à Loja do Cidadão, onde se encontrou com uma amiga.

Uma hora depois, chegou ao local uma equipa da PSP, altura em que o arguido terá consumido uma pedra de cocaína dentro do carro.

Quando os elementos policiais "já se preparavam para abandonar o local, o arguido trancou as portas do carro e ligou o mesmo", com a sua amiga a perguntar-lhe o que estaria a fazer.

"Não te preocupes que eu tenho mãos para isto, e não vou pôr em risco a tua vida nem a minha, até porque vou ser pai", respondeu-lhe.

De acordo com a acusação, o arguido engrenou a primeira mudança e arrancou imediatamente com o Honda Civic, contra a vontade da sua amiga, que lhe pedia para sair da viatura.

Os agentes da PSP correram em direção ao carro, com ordem de paragem, mas o arguido terá ignorado e acabou por iniciar uma fuga em direção à avenida Fernão de Magalhães.

Outros dois agentes encetaram uma perseguição automóvel ao arguido, que conduzia já em direção à Casa do Sal, sempre em grande velocidade e ignorando os gritos "em pânico" da sua amiga, que continuava a pedir-lhe para a deixar sair do carro.

"Fica descansada, que eles já não nos apanham", respondeu.

Logo após a rotunda de cruzamento da avenida Fernão de Magalhães com a rua Padre Estêvão Cabral, estava a passar a pé um homem, que atravessava a via de um lado para o outro.

A amiga, avistando o peão, terá gritado ao arguido para parar, mas este "não o fez", relata o Ministério Público (MP).

Ao sair da rotunda, o jovem embateu com a parte dianteira direita do carro contra o peão, que foi projetado para a frente e que morreu no local, com várias lesões traumáticas, nomeadamente na cabeça e tronco.

Segundo o MP, após o embate, o arguido prosseguiu a marcha e ignorou os pedidos da amiga para parar, que queria ajudar a socorrer a vítima.

"Não te preocupes que não nos vai acontecer nada", terá respondido o jovem, que seguiu até à estação de Coimbra-B, com intenção de deixar o carro naquela zona e dá-lo como roubado.

O arguido decidiu depois prosseguir a fuga e acabou intercetado por agentes da PSP junto à estrada de acesso ao Loreto, quando estes o ordenaram, através de altifalante, para desligar o carro e imobilizá-lo junto à berma.

O jovem acabou por acatar as ordens, mas apenas por alguns segundos, encetando novamente a fuga.

Junto ao campo de futebol da Adémia, o arguido voltou a fazer o mesmo, quando outro agente lhe pediu para parar a viatura.

Depois de deixar a sua amiga em casa, acabou intercetado pela PSP por volta das 04:00, à saída da sua residência.

Na acusação, é referido que foi detetada a presença de cocaína no sangue, bem como uma taxa de alcoolemia de 1,64 gramas por litro.

Leia Também: MP quer condenação de acusado de burla nas escalas da PSP de Coimbra

Recomendados para si

;
Campo obrigatório