Meteorologia

  • 20 JULHO 2024
Tempo
26º
MIN 19º MÁX 27º

Simpatia contra professores? "As pessoas compreendem", diz Mário Nogueira

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, referiu, em entrevista à RTP1, que "as pessoas compreendem, principalmente as pessoas cujos filhos não têm professores, ou cujos filhos têm professores que não são diplomados".

Simpatia contra professores? "As pessoas compreendem", diz Mário Nogueira
Notícias ao Minuto

08:42 - 02/02/23 por Inês Frade Freire

País FENPROF

O secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, questionado, na manhã desta quinta-feira, sobre o comentário feito pelo Presidente da República ontem de que pode haver "um momento em que simpatia pode virar-se contra professores", respondeu que, na sua opinião, "as pessoas compreendem".

De acordo com Mário Nogueira, em entrevista à RTP1, foi satisfatório ouvir o comentário porque "foi o reconhecimento de que a opinião pública está ao lado da causa". "Os professores estão a lutar pela profissão, que se não for valorizada vai acabar por ter cada vez mais professores menos personalizados", apontou.

No entanto, o secretário-geral da Fenprof refere que crê que "as pessoas compreendem, principalmente as pessoas cujos filhos não têm professores, ou cujos filhos têm professores que não são diplomados".

Sobre o que se pode esperar para as reuniões desta quinta-feira entre sindicatos de professores e o Ministério da Educação, o sindicalista diz esperar mais destas reuniões "que o pouco que saiu das anteriores negociações".

No entanto, as expetativas não são animadores, uma vez que, segundo o dirigente, para os sindicatos terem uma expetativa mais elevada, tinham de já ter recebido o documento sobre o que ia ser apresentado e "não temos".

Sobre o que podia ser feito por parte do Governo para para a greves serem desconvocadas imediatamente, o secretário-geral da Fenprof destacou que seria difícil isso acontecer uma vez que "o governo que nem aceita falar da contagem dos professores".

Realiza-se hoje a quarta ronda negocial para a revisão do regime de recrutamento e mobilidade de pessoal docente e, pela primeira vez nestas negociações, o ministro da Educação e secretário de Estado vão sentar-se à mesa, no ministério, a partir das 10h00, com todas as organizações sindicais em simultâneo.

Leia Também: "Muitas vezes, para trabalhar, um professor tem de pagar"

Recomendados para si

;
Campo obrigatório