Meteorologia

  • 05 FEVEREIRO 2023
Tempo
15º
MIN 8º MÁX 18º

Ministro confiante de que é possível manter maternidades a funcionar

O ministro da Saúde manifestou-se hoje "tranquilo" em relação às maternidades, sem avançar com datas ou eventuais encerramentos e salientando que mantém a confiança de que é possível manter os serviços em funcionamento.

Ministro confiante de que é possível manter maternidades a funcionar
Notícias ao Minuto

19:12 - 25/01/23 por Lusa

País Saúde

"Estamos muito tranquilos sobre isso. Aquilo que queremos é o melhor atendimento possível em cada sítio. E as pessoas têm a noção de que as medidas que tomamos, em cada momento, correspondem a essa ambição", afirmou Manuel Pizarro no final de uma vista ao Hospital Amato Lusitano, em Castelo Branco.

Em declarações aos jornalistas, o governante salientou que, neste momento, "as maternidades estão a funcionar em pleno".

"Eu estou satisfeito com isso e temos de garantir que isso continuará a ser assim no futuro e que, em cada momento, as futuras mães são atendidas com qualidade e segurança como sempre aconteceu no Serviço Nacional de Saúde (SNS), que mudou a qualidade da saúde materno infantil em Portugal e tem de continuar a ser assim no futuro", frisou.

Em outubro, o grupo de peritos encarregue de propor uma solução para as urgências de obstetrícia e blocos de partos nos hospitais do SNS propôs ao Governo o fecho do atendimento em dois hospitais da Grande Lisboa e dois na área geográfica da administração regional do Centro (Castelo Branco e Guarda).

Manuel Pizarro sublinhou que para já todas as maternidades estão abertas, com condições de segurança e de qualidade.

"Eu venho aqui para reforçar o hospital de Castelo Branco, não para o diminuir. A maternidade está aberta e está aberta todos os dias. Vamos manter a confiança de que e possível manter os serviços em funcionamento. É nisso que estamos concentrados", disse.

O ministro adiantou ainda que serão tomadas "as decisões que forem necessárias" para garantir "a qualidade e a segurança".

Questionado sobre a carta que o Sindicato Democrático dos Enfermeiros lhe endereçou recentemente a exigir a reabertura de negociações, disse que "a porta do Ministério da Saúde está sempre aberta para negociar com os profissionais".

"Confesso que não vi a carta, mas vi a notícia. Os profissionais são o coração do SNS. Em dezembro concluímos um acordo muito importante com uma grande parte muito importante dos sindicatos de enfermeiros. Esse acordo permitiu o reforço da posição salarial de quase 20 mil enfermeiros", disse.

O governante prometeu que irá continuar a trabalhar para chegar a uma plataforma de entendimento com a maior parte dos profissionais: "Não tenho nenhuma dúvida sobre isso".

A visita do ministro da Saúde ao HAL decorreu no âmbito do programa "Governo Mais Próximo", que se realiza entre hoje e quinta-feira no distrito de Castelo Branco, com mais de 40 iniciativas em que estarão presentes membros do executivo.

O Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal anunciou esta semana ter enviado uma carta ao ministro da Saúde a exigir a reabertura de negociações, numa altura em que, afirma, a vontade dos enfermeiros de avançar para a greve "supera até a dos sindicatos".

Leia Também: Algarve. Pizarro anuncia comissão para acompanhar construção de hospital

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório