Meteorologia

  • 28 JANEIRO 2023
Tempo
MIN 4º MÁX 11º

Garcia de Orta renova pedido de desvio de doentes para outros hospitais

O Hospital Garcia de Orta (HGO), em Almada, renovou o pedido de encaminhamento de doentes não críticos fora da sua área de influência para outros hospitais, até as 20:00 de hoje, por sobrelotação das urgências, anunciou aquela unidade hospitalar.

Garcia de Orta renova pedido de desvio de doentes para outros hospitais
Notícias ao Minuto

11:37 - 06/12/22 por Lusa

País Almada

Na segunda-feira à tarde, aquele hospital do distrito de Setúbal solicitou o encaminhamento de doentes para outras unidades ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), pedido que vigorou até às 08:00 de hoje.

O mesmo tinha ocorrido no domingo.

Hoje, o pedido foi reativado, prevendo o hospital que se mantenha até às 20:00.

Numa resposta enviada à agência Lusa, o HGO recorda que os hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) funcionam em rede pelo que, sempre que considerem necessário, solicitam o reencaminhamento ao CODU com o objetivo de proporcionar aos doentes uma mais rápida e adequada resposta.

A unidade hospitalar adianta que, durante o período em que é solicitado o reencaminhamento ao CODU, os serviços de urgência do HGO permanecem em funcionamento, garantindo a presença de médicos e os cuidados à população da área de influência (Almada e Seixal).

O hospital recomenda à população de Almada e do Seixal que, em caso de doença aguda, contacte em primeiro lugar a linha SNS 24 - 808242424, aconselhe-se com o médico assistente ou contacte o seu centro de saúde, para uma assistência de maior proximidade.

"Dessa forma, evitam-se tempos de espera maiores assim como constrangimento ao atendimento dos doentes efetivamente urgentes e emergentes", refere o hospital, adiantando que o Agrupamento dos Centros de Saúde (ACES Almada-Seixal) disponibiliza um horário de funcionamento de doença aguda aos sábados, domingos e feriados, das 10:00 às 17:00, nos centros de saúde Rainha D. Leonor em Almada, e Amora, no Seixal.

Em 28 de novembro, os chefes de equipa do Serviço de Urgência Geral (SUG) do hospital de Almada apresentaram a demissão dos cargos em protesto com a escala de dezembro, que consideraram estar "abaixo dos mínimos".

Numa carta dirigida ao diretor clínico do Hospital Garcia de Orta, à presidente do Conselho de Administração e à diretora do Serviço de Urgência, os profissionais explicavam que na escala prevista constam vários dias com um número de elementos abaixo dos mínimos (um ou dois elementos apenas) para garantir o bom funcionamento do serviço.

Os chefes de equipa adiantavam ainda que a escala de dezembro, à semelhança das escalas apresentadas nos últimos meses, normaliza uma equipa constituída por quatro elementos (ou menos), número que consideram insuficiente para garantir todos os postos necessários para o bom funcionamento do Serviço de Urgência Geral e a prestação de cuidados em segurança para os doentes e profissionais.

A administração do hospital reuniu com os especialistas no dia seguinte, 29 de novembro, e assegurou que estavam a ser tomadas medidas para o reforço da equipa, mas os chefes de equipa mantiveram a demissão até que as mesmas fossem implementadas.

Leia Também: Hospital de Almada pediu desvio de doentes para outros hospitais

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório