Meteorologia

  • 01 FEVEREIRO 2023
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Mais de 50% dos casos na urgência do Amadora-Sintra pouco ou não urgentes

O Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra) registou na última semana uma média diária de 738 episódios de urgência, sendo que na geral e pediátrica 56% das situações eram pouco urgentes ou não urgentes, anunciou hoje a unidade.

Mais de 50% dos casos na urgência do Amadora-Sintra pouco ou não urgentes
Notícias ao Minuto

17:16 - 05/12/22 por Lusa

País Saúde

Em comunicado, o hospital Amadora-Sintra indica ainda que, atualmente, se mantém uma "elevada afluência aos serviços de urgência".

"O Serviço de Urgência Geral tem 84 doentes internados na Unidade de Internamento de Curta Duração (sala de observação do Serviço de Urgência) que aguardam vaga para internamento em enfermarias e 57 utentes com alta clínica que aguardam resposta da Segurança Social", lê-se na nota, divulgada cerca das 16:00.

A unidade hospitalar recomenda à população dos concelhos da Amadora e de Sintra, no distrito de Lisboa, que, em caso de doença súbita, seja contactada primeiro "a equipa de família no Centro de Saúde/Unidade de Saúde Familiar (cuidados de saúde primários)" ou a linha SNS24, através do 808 24 24 24, devendo ficar reservado o atendimento no hospital a "situações agudas, graves urgentes e emergentes".

O Hospital Fernando Fonseca abrange uma população de 550 mil habitantes residentes no concelho da Amadora e de Sintra, funcionando em articulação com os restantes hospitais da Região de Lisboa e Vale do Tejo.

No dia 29 de novembro, chefes e subchefes das equipas do Serviço de Urgência do hospital apresentaram a demissão, por considerarem estar em causa a qualidade assistencial e a segurança dos utentes.

Numa carta dirigida à diretora clínica, com conhecimento da presidente do Conselho de Administração, os 44 médicos signatários afirmaram que o hospital "vive, uma vez mais, momentos de enorme dificuldade na nobre missão de prestar a melhor atividade assistencial à população que a ele recorre".

No mesmo dia, na sequência das demissões, a administração manifestou disponibilidade para implementar medidas adicionais ao Plano de Contingência de Inverno.

Numa nota enviada à agência Lusa, a administração do Amadora-Sintra adiantou que, após a apresentação da demissão das chefias de equipa dos Serviços de Urgência, "contactou de imediato" e reuniu-se com aqueles responsáveis, "mostrando-se disponível para encontrar e implementar medidas adicionais ao Plano de Contingência de Inverno, atualmente em vigor".

Reconhecendo que "a maior procura do Serviço de Urgência ao longo das últimas semanas representa um desafio adicional para as equipas", o conselho de administração salientou, contudo, que está em curso o alargamento dos horários de atendimento complementar nos cuidados de saúde primários dos concelhos de Amadora e de Sintra, "sendo expectável que contribua para diminuir a afluência ao Serviço de Urgência".

Além disso, foi aumentado o espaço físico alocado ao Serviço de Urgência, "com reflexo na melhoria das condições de segurança e conforto para os utentes e profissionais, bem como a contratação de 83 camas no exterior", segundo a administração.

Leia Também: Santarém. Afluência à urgência pediátrica 4 vezes superior face há um ano

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório