Meteorologia

  • 29 JANEIRO 2023
Tempo
10º
MIN 4º MÁX 12º

Milhazes: "Putin participou na perseguição de dissidentes desde 1976"

O comentador da SIC contou ainda uma história que ilustra como o nome de Cristiano Ronaldo já chegou à guerra na Ucrânia.

Milhazes: "Putin participou na perseguição de dissidentes desde 1976"

O historiador e jornalista José Milhazes abordou, na terça-feira, as mais recentes provas que sustentam que o atual presidente russo, Vladimir Putin, tem vindo a "perseguir", há já largos anos, críticos do regime, inclusive artistas.

"Foi descoberto e publicado um documento dos arquivos soviéticos [...] que prova que Putin participou na perseguição de dissidentes desde 1976, ou seja, quando ele ainda era um jovem agente do KGB", começou por explicar no seu habitual espaço de comentário 'Guerra Fria', no 'Jornal da Noite' da SIC.

Segundo explicou José Milhazes, o chefe de Estado russo terá, de acordo com as provas citadas, participado na "perseguição de dois pintores soviéticos, conhecidos de Leningrado, porque eles pintaram numa das muralhas da Fortaleza de São Pedro e São Paulo, em São Petersburgo, a frase: 'Vós crucificais a liberdade, mas a alma do homem não conhece algemas'”.

No seguimento dessa ação de protesto, "um dos pintores foi condenado a seis anos e o outro a oito anos de campo de concentração", destacou o historiador, que garantiu ainda que "Putin participou diretamente na prisão destes dois pintores".

Este é mais um dos relatos que dão conta da forma como o presidente da Rússia 'castiga' aqueles que se mostram contra o regime instituído. Exemplo disso é o caso de Alexei Navalny, principal inimigo do Kremlin e que, para além de ter sido detido, viu o seu movimento político proibido na Rússia e foi também envenenado - facto pelo qual atribui, também, a responsabilidade a Vladimir Putin.

Nome de CR7 chega ao cenário de guerra

Num registo um pouco mais descontraído, José Milhazes fez ainda referência, no 'Guerra Fria' de terça-feira à noite, a um vídeo, protagonizado por "três avós" residentes  na República Popular de Lugansk, na Ucrânia, atualmente sob o comando de autoridades separatistas pró-russas, que interpela diretamente o capitão da Seleção Nacional de Futebol: Cristiano Ronaldo.

Ao som da canção ‘We are the Champions’, as três idosas terão tido a ousadia de "convidar Cristiano Ronaldo para jogar numa equipa local".

Segundo José Milhazes, a primeira protagonista do vídeo disse: “Tu és o nosso herói. Vemos que estás com problemas, rompeste o contrato, mas não fiques triste. Convidamos-te a vir para a nossa terra”.

A ela seguiu-se uma segunda senhora, que acrescentou: “Cristiano Ronaldo, anda para a República Popular de Lugansk”. Porém, explicou ainda o jornalista, existem "algumas condições" que o futebolista deve ter em mente se estiver a ponderar a oferta: "'Se mostrares bons resultados, pode ser que recebas o passaporte e a cidadania russa. Esperamos muito por ti'", referiu a mesma senhora, citada por José Milhazes.

Finalmente, a "terceira velhota" diz, segundo relatou o comentador: "'És o melhor. Convidamos-te a vir e ficamos à espera da tua resposta'”.

Em jeito de brincadeira, José Milhazes disse, assim, que "Cristiano Ronaldo pode já ter o seu destino traçado", numa altura em que o futebolista se encontra sem clube, depois de ter rompido o contrato com o Manchester United, na sequência de divergências com o treinador e a direção do clube.

Leia Também: Ataques à Ucrânia e queda de míssil na Polónia? "Pode ser uma provocação"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório