Meteorologia

  • 30 JANEIRO 2023
Tempo
10º
MIN 3º MÁX 12º

Governo português lamenta morte do diplomata espanhol Francesc Vendrell

O Ministério dos Negócios Estrangeiros lamentou hoje a morte do diplomata espanhol Francesc Vendrell, que cumpriu grande parte da sua carreira ao serviço das Nações Unidas, recordando um "aliado de Portugal no processo de independência de Timor-Leste".

Governo português lamenta morte do diplomata espanhol Francesc Vendrell
Notícias ao Minuto

22:55 - 28/11/22 por Lusa

País Francesc Vendrell

O Ministério dos Negócios Estrangeiros lamentou hoje a morte do diplomata espanhol Francesc Vendrell, que cumpriu grande parte da sua carreira ao serviço das Nações Unidas, recordando um "aliado de Portugal no processo de independência de Timor-Leste".

"Grande amigo de Timor-Leste e aliado de Portugal no processo de independência do país irmão, teve um papel determinante na produção das oito resoluções da Assembleia-Geral da ONU sobre Timor-Leste, adotadas entre 1976 e 1982, mantendo a atenção da comunidade internacional sobre a questão", destacou o ministério liderado por João Gomes Cravinho em comunicado.

Numa nota de condolências à família e amigos de Francesc Vendrell, que morreu no domingo aos 82 anos, o Ministério dos Negócios Estrangeiros sublinhou o "trabalho diplomático enérgico, dedicado e determinante em vários e importantes momentos da história mundial".

"Como reconhecimento da sua dedicação à causa, foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem da Liberdade, em agosto de 2019, numa cerimónia realizada na Embaixada de Portugal em Díli, quando se assinalavam os 20 anos sobre o referendo que viria a reconhecer a independência de Timor-Leste", acrescentou.

Francesc Vendrell nasceu em Barcelona em 1940 e formou-se em Direito pela Universidade de Barcelona, estudou no King's College London e formou-se em História Moderna pela Universidade de Cambridge, noticiou a agência Efe.

Em 1968 ingressou no corpo diplomático da ONU, onde foi representante pessoal do Secretário-Geral das Nações Unidas nos processos de paz em El Salvador e Nicarágua (1989-1991), Guatemala (1990-1992) e Timor Leste (1999).

Também participou de missões diplomáticas no Cáucaso (1992) e no Haiti (1993) e, em 1999, foi nomeado chefe do escritório de assistência do Secretário-Geral da ONU para assuntos políticos na Ásia, Pacífico, Américas e Europa.

De 2000 a 2002 chefiou a missão especial da ONU no Afeganistão (UNSMA), e neste último ano foi nomeado representante da União Europeia, ocasião em que também recebeu a Cruz de Sant Jordi da Generalitat da Catalunha.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lamentou hoje a morte do diplomata espanhol recordando-o como um "brilhante mediador" que deu o seu contributo para vários processos de paz ao longo da sua longa carreira na organização.

"[António Guterres] Transmite as suas sinceras condolências à família e aos entes queridos de Vendrell. Aqueles que tiveram o privilégio de trabalhar com ele lembrar-se-ão sempre da sua dedicação e compromisso incansável de procurar a paz através do diálogo", realçou Stéphane Dujarric, porta-voz do diplomata português, em comunicado.

Leia Também: Cravinho vê com "tranquilidade" ida de embaixador ao Ministério do Qatar

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sétimo ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório