Meteorologia

  • 06 JULHO 2022
Tempo
29º
MIN 17º MÁX 31º

Moedas votará contra proposta de consulta pública sobre Almirante Reis

O presidente da Câmara de Lisboa afirmou hoje que a decisão de retirar metade da ciclovia do lado direito da Almirante Reis foi tomada após ouvidas "mais de 600 pessoas", pelo que votará contra uma nova proposta de consulta pública.

Moedas votará contra proposta de consulta pública sobre Almirante Reis
Notícias ao Minuto

13:07 - 26/05/22 por Lusa

País Câmara de Lisboa

"Anunciei, há cerca de um mês, que iria ter uma solução para a [Avenida] Almirante Reis de retirar metade da ciclovia do lado direito. Foi anunciado e trabalhado com os cidadãos, ouvimos mais de 600 pessoas", começou por explicar Carlos Moedas (PSD), questionado à margem do lançamento da construção de novas casas no Bairro da Boavista.

Referindo-se à reunião de câmara de quarta-feira, o autarca disse que o Bloco de Esquerda quer apresentar uma nova proposta para fazer uma consulta pública "depois de já terem sido ouvidas as pessoas".

"Isso vai ser levado a reunião de câmara e quando for levado eu votarei contra, porque considero que já ouvimos as pessoas. Se a câmara assim o decidir, respeitarei a decisão e teremos de parar o que estamos a fazer", acrescentou.

O Bloco de Esquerda na Câmara de Lisboa pediu na quarta-feira ao presidente do executivo que as obras na ciclovia da Avenida Almirante Reis "não avancem" até ser discutida a proposta de apresentação de um projeto de alteração fundamentado.

"A ciclovia da Almirante Reis foi retirada hoje [quarta-feira], agora, esta noite. Há um troço que foi retirado, a sinalética foi retirada, foi arrancada do chão uma zona grande na Alameda esta noite mesmo", afirmou o vereador único do BE, Ricardo Moreira, em substituição de Beatriz Gomes Dias, na reunião pública do executivo.

Ricardo Moreira manifestou-se "bastante desiludido" com Carlos Moedas, porque houve o compromisso de agendar para a próxima reunião do executivo, na segunda-feira, uma proposta do BE, do Livre e da vereadora independente do Cidadãos por Lisboa (eleita pela coligação PS/Livre), que sugere que "antes de qualquer alteração na configuração do perfil da avenida" seja apresentado o projeto de alteração fundamentado para a ciclovia, abrindo "um período de recolha de contributos de não menos 30 dias".

"Não há nenhuma consulta pública sobre um facto consumado, se as obras já avançaram, se há uma parte da ciclovia que já foi arrancada", avisou o vereador do BE, considerando que "não é assim que se fazem consensos".

Em resposta na reunião, Carlos Moedas (que não tem maioria absoluta no executivo) disse desconhecer o avanço das obras, mas afirmou que "houve todo um trabalho feito em relação à Almirante Reis", em que foi decidido retirar metade da ciclovia após ouvir as pessoas, ressalvando que tal "não impede" a discussão da proposta para consulta pública.

"Se a vossa proposta é parar tudo o que se está a fazer, que é o bloqueio que o senhor vereador está a preparar para fazer, nós bloquearemos, bloquearemos quando votarem esse bloqueio", declarou o presidente da câmara, afirmando que até lá não pode parar de gerir a cidade.

Após pedir informações aos seus assessores, o autarca do PSD indicou que "estão a fazer ensaios, não estão a retirar nenhuma ciclovia neste momento", e assumiu a responsabilidade pelas intervenções em curso na avenida.

O vereador do Livre, Rui Tavares, considerou que o avançar das obras antes da votação da proposta para consulta pública do projeto para Almirante Reis pode estar dentro da legalidade, mas demonstra "falta de respeito".

No decorrer da reunião, a vereadora Paula Marques reiterou o pedido para acesso à informação sobre os estudos desenvolvidos para as alterações na ciclovia.

Leia Também: CML. BE quer que obras na ciclovia da Almirante Reis "não avancem"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório