Meteorologia

  • 25 MAIO 2022
Tempo
15º
MIN 15º MÁX 26º

Setúbal? "Mais uma tentativa, no espírito da russofobia, de politizar"

Embaixada da Rússia em Portugal emitiu uma nota onde comenta o 'caso' da receção dos refugiados ucranianos recebidos por russos pró-Kremlin em Setúbal. E espera "que este processo corra de acordo com as normas do Estado de Direito que é Portugal". 

Setúbal? "Mais uma tentativa, no espírito da russofobia, de politizar"
Notícias ao Minuto

15:48 - 13/05/22 por Notícias ao Minuto

País Setúbal

A embaixada da Rússia em Portugal emitiu, esta sexta-feira, um comunicado sobre as notícias que vieram a público acerca da receção a refugiados ucranianos na Câmara de Setúbal, onde Igor Khashin e a sua mulher, Yulia Khashina, são figuras centrais. 

Numa mensagem colocada no site oficial, a embaixada assume que "prestou atenção" à "campanha na comunicação social portuguesa sobre uma das organizações dos compatriotas russos, a Associação de Imigrantes dos Países de Leste – Edinstvo ('unidade" em português), liderada pelo cidadão russo e português Igor Khashin", sublinhando que "entre os membros desta associação não são somente os russos mas também ucranianos".

"Aliás", explicita, "a Embaixada da Ucrânia em Portugal há muito tempo tem noção da Edinstvo" que, "durante mais de 15 anos, prestou apoio à integração dos imigrantes dos países do Leste da Europa em Portugal" e "desenvolveu atividade na área cultural".

Diretamente sobre Igor Khashin, a embaixada russa no nosso país afirma que participou em "eventos da comunidade russa" que "são iguais aos de outros países" e dá o exemplo dos "encontros do Conselho da Diáspora Portuguesa".

"Os ativistas da comunidade russa mantêm contatos com as autoridades russas através da Embaixada da Rússia com vistas à garantia da proteção dos seus direitos no estrangeiro como fazem, por exemplo, os representantes da diáspora portuguesa dirigindo-se às missões diplomáticas de Portugal caso têm alguns problemas", ressalva.  

Na mesma nota, a embaixada vinca que "é de lamentar ver nos media nacionais mais uma tentativa, no espírito da russofobia, de politizar a situação ao redor duma estrutura de natureza humanitária", assumindo também que espera "que este processo corra de acordo com as normas do Estado de Direito que é Portugal"

O que está em causa? 

Recorde-se que Igor Khashin, dirigente da Associação de Emigrantes de Leste (Edintsvo), agora liderada pela sua mulher Yulia Khashina - funcionária da Câmara de Setúbal desde dezembro -, participava na receção dos refugiados ucranianos naquela cidade.

Depois de ter noticiado o caso, o semanário Expresso reproduziu declarações de alguns refugiados acolhidos em Setúbal, que confirmaram a presença Khashin no local "com computador pessoal e a perguntar dados das pessoas", acrescentando que chegou a fotocopiar documentos.

Entretanto, o Governo ordenou uma investigação ao município de Setúbal pela Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD) e uma sindicância a realizar pela Inspeção-Geral de Finanças, face às denúncias de alegadas irregularidades no acolhimento de refugiados ucranianos.

A Câmara de Setúbal anunciou que tinha sido oficialmente informada do início das diligências para apurar eventuais falhas na receção de refugiados ucranianos, tendo o presidente da autarquia apelado, na sessão pública de câmara, a que se evite falar do assunto publicamente.

Leia Também: "Não sou espião russo", garante Igor Kashin. "Trabalho destruído num dia"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório