Meteorologia

  • 20 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 15º

Edição

Sindicato da PSP reage a demissão de Cabrita: "Nunca nos ajudou"

ASPP aponta também culpa ao governo e diz esperar que com um novo ministro as suas propostas sejam acolhidas.

Sindicato da PSP reage a demissão de Cabrita: "Nunca nos ajudou"

A ASPP,  sindicato que representa a PSP, reagiu esta sexta-feira à noite à demissão de Eduardo Cabrita do cargo de ministro da administração interna. Para o sindicato, a saída de Cabrita, "um ministro que nunca ajudou" a forças de segurança, era "inevitável". 

A saída do ministro era "expectável e necessária, mas mais necessário serão as opções do primeiro-ministro face à vida dos polícias e as suas famílias", lê-se no comunicado enviado às redações. 

A ASPP defende que, mais do que a substituição do ministro, são também importantes as "políticas que o governo pratica para resolver os problemas concretos dos polícias e da PSP", e, nesse ponto, Cabrita falhou. 

"O MAI agora exonerado, não teve capacidade política para resolver os problemas dos polícias. Não teve o MAI, como não teve o restante Governo. Se há avaliação particular que se possa fazer de Eduardo Cabrita, enquanto ministro, a resposta é, avaliação negativa, pois diversos episódios mancharam a sua atuação, assim como, assentou a sua ação em muita retórica e simulação", escreve o sindicato em comunicado. 

Apesar da nota negativa dada ao ministro agora exonerado, o sindicato também aponta culpas ao Governo: "As políticas do Governo para a segurança pública e para a PSP assentam na linha política do Governo e não na figura do MAI".

A PSP diz ainda esperar que, com um novo ministro, as propostas do sindicato sejam acolhidas.

"Alteração das tabelas remuneratórias na PSP para tornar a carreira atrativa, alteração do valor para compensação do risco, por forma a dignificar a carreira, respeito pelas regras da pré-aposentação definidas no estatuto profissional, aplicação da legislação de higiene e saúde no trabalho, reestruturação dos suplementos remuneratórios, qualificação da profissão de polícia como de desgaste rápido e uma reestruturação na orgânica da PSP, são algumas das matérias que queremos que sejam resolvidas, e isso é o que é importante para os Polícias, e é isso que esperamos que o governo resolva", sublinha o sindicato.

Conclui a PSP que Cabrita abandona o cargo por "um caso muito particular e não pelo seu desempenho", apesar da "sua inabilidade e episódios em que esteve envolvido", e afirma que "após tanto tempo no MAI, [Cabrita] não resolveu os principais problemas dos profissionais da PSP".

Leia Também: MAI. Costa diz que Van Dunem "com facilidade assume esta função"

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório