Meteorologia

  • 22 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 5º MÁX 14º

Edição

Casos de infeção com Ómicron em Portugal sobem para 34

Relatório das Linhas Vermelhas desta semana destaca que a emergência de uma nova variante de preocupação (Ómicron) "suporta a necessidade de reforçar a vigilância epidemiológica, virológica e do controlo de fronteiras em Portugal, até serem conhecidas mais informações". Há já 34 casos identificados em Portugal.

Casos de infeção com Ómicron em Portugal sobem para 34

Até às 18 horas desta sexta-feira,  estavam identificados em Portugal um total de 34 casos associados à variante Ómicron, revela o relatório de monitorização das Linhas Vermelhas divulgado esta sexta-feira. "Estes casos incluem os casos sequenciados para a variante Ómicron e os casos nos quais foram identificadas mutações específicas, fortemente preditores da variante Ómicron", esclarece o documento. 

Em Portugal, o número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2/Covid-19, por 100 mil habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, foi de 386 casos, "com tendência fortemente crescente a nível nacional", indica também o relatório. 

No grupo etário com idade superior ou igual a 65 anos, destaca o relatório da Direção-Geral de Saúde e do Instituto Nacional Ricardo Jorge (INSA), o número de novos casos de infeção por SARS-CoV-2/Covid-19, por 100 mil habitantes, acumulado nos últimos 14 dias, foi de 253 casos, também "com tendência fortemente crescente a nível nacional".

No que diz respeito ao indicador da transmissibilidade, o chamado r(t), este  apresenta valor igual ou superiora 1, indicando igualmente "uma tendência crescente da incidência de infeções por SARS-CoV-2 a nível nacional (1,13) e em todas as regiões.

"A manter esta taxa de crescimento, a nível nacional, estima-se que o limiar de 480 casos em 14 dias por 100 mil habitantes possa ser ultrapassado em menos de 15 dias", prevê o relatório. 

No que concerne à pressão hospitalar, o número de infetados internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma "tendência fortemente crescente", correspondendo a 50% (na semana anterior foi de 40%) do valor crítico definido de 255 camas ocupadas.

A mortalidade específica por Covid-19 (17,0 óbitos em 14 dias por 1.000.000 habitantes) apresenta uma "tendência crescente", uma taxa que revela um impacto moderado da pandemia na mortalidade. 

Em suma, o relatório de monitorização das Linhas Vermelhas conclui que a análise dos diferentes indicadores revela "uma atividade epidémica de SARS-CoV-2 de intensidade elevada, com tendência fortemente crescente a nível nacional" e que "a pressão nos serviços de saúde e o impacto na mortalidade são moderados, mas com tendência crescente".

Sobre a nova variante de preocupação - a Ómicron, que contabiliza já 34 infetados, - a DGS e o INSA sublinham que o surgimento desta "suporta a necessidade de reforçar a vigilância epidemiológica, virológica e do controlo de fronteiras em Portugal, até serem conhecidas mais informações". 

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2.535 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 21 mortes atribuídas à Covid-19, registando-se uma ligeira redução dos internamentos, segundo o boletim epidemiológico da DGS. Não se registavam tantos óbitos por Covid-19 em Portugal desde 18 de março desde ano, dia em que também se verificaram 21 mortes.

Leia Também: AO MINUTO: Testes? Mais comparticipação; Vacina lusa espera financiamento

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório