Meteorologia

  • 18 JANEIRO 2022
Tempo
MIN 6º MÁX 14º

Edição

Alfândegas apreendem quase 4.000 toneladas de resíduos ilegais

Quase 4.000 toneladas de resíduos foram apreendidas em outubro nas alfândegas, no âmbito da operação internacional DEMETER VII que fiscaliza o transporte ilegal de resíduos que não cumprem regras ambientais, prejudicando a longo prazo o ambiente e a saúde pública.

Alfândegas apreendem quase 4.000 toneladas de resíduos ilegais

Com a participação de 87 administrações aduaneiras, aquela que foi a maior operação DEMETER até então, a DEMETER VII, que decorreu entre 01 e 31 de outubro, fiscalizou substâncias que empobrecem a camada de ozono (ODS -- OzoneDepletting Substances, regulamentadas pelo Protocolo de Montreal), como os CFC (clorofluorcarbono) ou os HCFC (hidroclorofluorocarbonetos), que aumentam as quantidades de radiação ultravioleta que atingem a superfície da terra.

Os dados reportados em termos internacionais, divulgados na página de internet da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), indicam que as alfândegas controlaram remessas suspeitas e apreenderam resíduos ilegais e ODS, que resultaram num total de 107 apreensões, incluindo 3.851 toneladas de resíduos e 6.108 unidades, ao nível dos resíduos, e ainda 101 quilogramas (kg) e 493 unidades, quanto a substâncias controladas pelo Protocolo de Montreal.

A nível nacional, a participação da AT abrangeu o período entre 18 e 29 de outubro nas vertentes exportação e importação, na via marítima, sendo que dos controlos realizados pelas alfândegas participantes resultou a constatação de "diversas irregularidades" ao nível do não cumprimento da legislação específica dos resíduos, bem como ao nível dos gases fluorados, informa a nota da AT.

Dessas irregularidades detetadas em Portugal, a AT destaca a importação de 453 aparelhos de ar condicionado, via delegação aduaneira de Sines, sem ter sido previamente declarado que estes equipamentos se encontravam pré-carregados com gases fluorados.

Destaca também uma irregularidade detetada pela alfândega de Braga, numa tentativa de exportação de 25 mil quilos de resíduos de pneumáticos para um destino não autorizado a recebê-los (Tailândia) e incorretamente classificados, pelo que, não tendo sido cumpridos os requisitos para exportação, a mesma não foi concretizada.

Por fim, a AT salienta a deteção de duas irregularidades na alfândega de Braga correspondentes a duas exportações de resíduos de partes de motores, para a Índia (num total de 58.000 Kg), incorretamente declarados como resíduos de cobre, para as quais os respetivos contratos e, num dos casos, também a licença, inicialmente apresentados não abrangiam o tipo de resíduo constatado.

Leia Também: GNR apreende 51 artigos contrafeitos em São Miguel. Um homem identificado

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;
Campo obrigatório