Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2021
Tempo
12º
MIN 12º MÁX 15º

Edição

Opus Dei em Portugal com um "empurrão" da irmã Lúcia

A comemorar os 75 anos de presença em Portugal, a história do Opus Dei no país começou em fevereiro de 1945, quando o fundador da Obra, Josemaria Escrivá, visitou Braga, Porto, Coimbra, Leiria e Lisboa.

Opus Dei em Portugal com um "empurrão" da irmã Lúcia
Notícias ao Minuto

08:28 - 26/10/21 por Lusa

País Opus Dei

A irmã Lúcia, vidente de Fátima, terá sido a responsável por esta viagem de Escrivá.

Na sua página na Internet, o Opus Dei dá conta de que Lúcia se encontrava num convento em Tui, quando o bispo local quis que Josemaria Escrivá a conhecesse.

"A conversa foi providencial, uma vez que a irmã Lúcia pediu insistentemente ao fundador que fosse a Portugal, para poder assim apressar os começos do trabalho do Opus Dei em terras portuguesas. A viagem está nos seus planos apostólicos, mas não naquele momento, entre outras coisas porque não tinha passaporte. Mas isso não foi um obstáculo, pois, com um telefonema para Lisboa", Lúcia obteve para Josemaria e para os que o acompanhavam a autorização necessária.

Ainda segundo o Opus Dei, "um ano depois chegavam a Coimbra vários membros do Opus Dei em estudos de pós-graduação, montando uma residência universitária nessa cidade. Posteriormente seria a vez do Porto (1948) e Lisboa (1951)".

Até 1972, Josemaria Escrivá (que João Paulo II beatificou em 1992 e canonizou em 2002) "voltaria com frequência a Portugal, que também o atraía particularmente por Fátima".

Hoje, em Portugal, a Prelatura conta com 1.625 fiéis, distribuídos por todas as zonas do continente, Madeira e Açores, e existem centros em Braga, Porto, Miramar, Viseu, Coimbra, Lisboa, Montemor-o-Novo e Ponta Delgada.

Os 75 anos estão a ser assinalados por diversas dioceses do país com uma exposição itinerante, que já passou por Lisboa, Cascais, Viseu, Braga e Porto, e passará ainda pelo Montijo (novembro), Algarve e Açores (dezembro), Évora (janeiro de 2022) e Fátima e Lisboa (fevereiro de 2022).

A mostra, segundo o Opus Dei, visa dar a conhecer "a história de fé e entrega, trabalho e alegria (...) que se desenrolou até aos dias de hoje, e se abre ao futuro".

A exposição consta de 14 painéis e de alguns objetos através dos quais se contam os principais momentos da história desta instituição da Igreja Católica.

A Prelatura, que conta com uma única paróquia em Portugal -- Paróquia de Nossa Senhora da Porta do Céu, em Telheiras, Lisboa -- viu ainda o aniversário ser assinalado com a edição do livro "O fundador do Opus Dei em Portugal", de monsenhor Hugo de Azevedo, e com a reedição de "Amigos de Deus", de Josemaria Escrivá. Há também a perspetiva de, até fevereiro de 2022, serem reeditados o "Caminho", o "Sulco" e a "Forja".

Entretanto, e até 2023, o Opus Dei vai preparar a participação na Jornada Mundial da Juventude (JMJ Lisboa 2023), que se realizará em Lisboa, entre 01 e 06 de agosto desse ano.

"Vivemos com muito entusiasmo o anúncio, e estamos a acompanhar com atenção e disponibilidade os preparativos. A JMJ vai ser uma ótima ocasião para ajudar muitos jovens portugueses a terem nova confiança em Deus e desejarem ser tocados por Deus, e, por essa via, tornarem-se uma presença refrescante na sociedade", diz o vigário regional do Opus Dei em Portugal.

De acordo com o padre José Rafael Espírito Santo, "nos encontros de formação católica para jovens, o Opus Dei vai desafiá-los a renovarem a sua relação com Deus, a aprenderem a arte da oração, a darem a sua ajuda na organização, e a mobilizarem o máximo número de colegas, familiares e amigos a estarem presentes" na Jornada de Lisboa.

Leia Também: Apostas do Papa Francisco sem reversão, diz Vigário do Opus Dei

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório