Meteorologia

  • 02 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 14º

Edição

Governo da Madeira não tem prazo para região atingir 85% de vacinados

O presidente do Governo da Madeira afirmou hoje que a região vai atingir os 85% de vacinados contra a Covid-19, não adiantando, contudo, um prazo, e assegurou que não vai alterar algumas medidas que têm gerado polémica.

Governo da Madeira não tem prazo para região atingir 85% de vacinados
Notícias ao Minuto

14:23 - 19/10/21 por Lusa

País Covid-19

"Vamos alcançar os 85% [de residentes vacinados]", declarou Miguel Albuquerque aos jornalistas, à margem da cerimónia de entrega de equipamentos de proteção individual urbano e florestal aos corpos de bombeiros da Região Autónoma da Madeira.

O chefe do executivo madeirense argumentou que a região regista cerca de "5.000 vacinados que tiveram a primeira dose, depois tiveram covid-19 e passados seis meses vão levar a segunda dose", um número de casos que ainda não está contabilizado para aferir a imunidade de grupo no arquipélago.

Confrontado com o facto de ter anteriormente apontado que a meta de 85% seria atingida na Madeira no final de setembro, Albuquerque declarou que agora prefere "não arriscar nada" em termos de prazos.

Contudo, Albuquerque sublinhou que a situação dos residentes vacinados a Madeira "não está mal", porque a região conseguiu atingir 82% da população inoculada.

O governante insular insistiu que a imunidade de grupo também ainda não foi atingida no arquipélago porque "ainda teve muita gente que se expôs ao risco sem a vacinação", recordando que nenhuma das pessoas internadas na unidade de covid-19 no Hospital Dr. Nélio Mendonça, no Funchal, foi vacinada.

Questionado sobre a polémica relacionada com algumas medidas restritivas adotadas na Madeira serem diferentes para espaços de diversão noturna e de eventos culturais, o líder do executivo realçou que "nas discotecas é obrigatório para entrar estar vacinado".

Quanto aos testes antigénio, têm de ser apresentados nas casas de espetáculos e estádios, salientando que "a prioridade é segurança" e que "todas as medidas têm a ver com o sentido de razoabilidade e bom senso".

"Neste momento são essas as normas, não sendo perfeitas, estão em vigor. Aceitamos as críticas e não vamos alterar nada" porque a sua aplicação tem resultado na região, sublinhou.

O líder madeirense indicou que um dos objetivos das autoridades de saúde do arquipélago é "não ter mais surtos", uma situação que a região tem conseguido "conter".

"Acho que as coisas estão a correr bem. As pessoas têm-se portado bem e têm a noção de que há sempre um risco e acho que as coisas vão correr normalmente", declarou.

Para Albuquerque, "a reabertura tem sido progressiva, não tem havido aumento do número de casos".

Por isso, as medidas vão sendo anunciadas "à medida que for constatado o índice de contaminação", disse

"Não vai haver grandes problemas e se houver estamos aqui para tomar decisões e voltar atrás", concluiu.

Os últimos dados divulgados segunda-feira pela Direção Regional de Saúde (DRS) indicam que as autoridades de saúde da Madeira sinalizaram 11 novos casos de covid-19 na região, reportando 70 pessoas infetadas e oito hospitalizadas.

Leia Também: AO MINUTO: Vacinação irregular? Processo arquivado; Delta 'a dominar';

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório