Meteorologia

  • 24 SETEMBRO 2021
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 23º

Edição

AMPorto. "Absolutamente lamentável" falta de referências do INE

O presidente da Área Metropolitana do Porto (AMP), Eduardo Vítor Rodrigues, criticou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE) por não referir a AMP nos dados dos Censos 2021, classificando a situação de "absolutamente lamentável" e "indesculpável".

AMPorto. "Absolutamente lamentável" falta de referências do INE

"Gostava de ter visto no documento que o INE publicou alguma referência à Área Metropolitana do Porto. Existe uma referência à Área Metropolitana de Lisboa, mas depois existe, sim, uma referência à região Norte do país. E se queremos ter os elementos, temos de fazer o somatório dos 17 municípios que integram a Área Metropolitana do Porto", criticou o autarca.

"Acho absolutamente lamentável que, do ponto de vista metodológico, o INE tenha feito esta opção, ou por ação, ou por omissão, qualquer uma das duas, a meu ver, indesculpável", declarou o presidente da AMP, em declarações à agência Lusa, no dia em que o INE divulgou os resultados preliminares dos Censos 2021.

Eduardo Vítor Rodrigues defende que não se tratou de um "problema metodológico", mas de um erro por parte do INE.

"É um erro, que não sei se resulta do efeito da capitalidade, ou se resulta de uma indesculpável distração. Porque o país tem duas áreas metropolitanas, não tem uma. E quando queremos fazer um estudo em que haja dimensão comparativa, ou o estudo assume essa comparação, territorializando todos os territórios passiveis de serem comparados, ou então, verdadeiramente, é uma lacuna indesculpável", vincou o presidente da AMP.

O também presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia frisou que seria "interessante, do ponto de vista, metodológico" ter os elementos da AMP separados do resto da região Norte, "também para se perceber, do ponto de vista de comparação", como é que ambas evoluíram.

"Da mesma forma que o INE tratou as regiões plano [Norte, Centro, Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo e Algarve], e bem, devia ter tido a maçada - pelos vistos devia dar muito trabalho - de autonomizar a Área Metropolitana do Porto do resto da região Norte, para podermos ter elementos concretos que não tenham resultado do nosso trabalho individual e tenham resultado dos próprios dados do INE", defendeu Eduardo Vítor Rodrigues.

O presidente da AMP salienta que "é importante para o INE, como disseminador de informação cientifica, utilizar metodologias que permitam rigor no tratamento dos dados".

Portugal tem 10.347.892 residentes, menos 214.286 do que em 2011, segundo os resultados preliminares dos Censos 2021, hoje divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Trata-se de uma quebra de 2% relativamente a 2011, consequência de um saldo natural negativo (-250.066 pessoas, segundo os dados provisórios).

Os dados preliminares mostram que há em Portugal 4.917.794 homens (48%) e 5.430.098 mulheres (52%).

O Algarve e a Área Metropolitana de Lisboa (AML) foram as únicas regiões que registaram um crescimento da população nos últimos 10 anos.

Leia Também: Portugal com menos residentes e mais litoralização na última década

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório