Meteorologia

  • 19 OUTUBRO 2021
Tempo
24º
MIN 17º MÁX 28º

Edição

Linha SOSolidão deteta prevalência de problemas de saúde mental em idosos

Em menos de um ano a Linha SOSolidão da Fundação Bissaya Barreto já recebeu quase 200 pedidos de ajuda de idosos, com a maioria dos contactos a revelar problemas de saúde mental e muitos a motivar um acompanhamento permanente.

Linha SOSolidão deteta prevalência de problemas de saúde mental em idosos
Notícias ao Minuto

20:31 - 20/05/21 por Lusa

País Idosos

A linha de apoio, complementar ao serviço SOS Pessoa Idosa, da Fundação Bissaya Barreto, foi criada em abril de 2020, já em plena pandemia de covid-19, e recebeu desde essa altura até fevereiro deste ano, segundo os dados hoje divulgados pela instituição, centenas de contactos e pedidos de ajuda.

"Entre abril de 2020 e fevereiro de 2021, a Linha contabiliza 435 contactos, 198 pedidos de ajuda, com a abertura de 123 processos internos e 94 pedidos de esclarecimento. Cerca de 30% das pessoas estão a receber acompanhamento permanente, por se encontrarem em situações de elevado risco e vulnerabilidade", lê-se no comunicado.

Em 68% dos casos de contacto foram detetados problemas de saúde mental, sendo que a linha de apoio foi procurada maioritariamente por mulheres entre os 65 e os 75 anos, viúvas e residentes em zonas urbanas, que vivem sozinhas e sem retaguarda familiar ou de apoio social.

De acordo com a Fundação Bissaya Barreto, os casos de depressão e ansiedade "surgem com acentuada frequência" desde a criação desta linha, registando-se um crescimento de contactos de idosos com patologias como esquizofrenia, perturbações delirantes, psicóticas e de bipolaridade, assim como declínios cognitivos ligeiros ou graves, como a doença de Alzheimer.

"Os apelos provêm, predominantemente, de zonas urbanas onde, devido à pandemia, houve uma redução da interação social. Nas localidades rurais, o contexto veio agravar o isolamento social e geográfico, com ausência de proximidade física e reflexo no estado emocional. Muitos dos idosos que contactam a Linha de apoio têm experienciado ideações suicidas, delírios persecutórios, ataques de pânico e insónias", refere o comunicado.

A linha tem ao serviço uma psicogerontóloga, que realiza rastreios para avaliação do estado cognitivo e de sintomas depressivos nos idosos para depois definir uma intervenção, havendo também um trabalho de articulação com unidades de saúde ou de apoios sociais.

A linha de âmbito nacional e gratuito, disponível no número 800 91 29 90, funciona entre as 10:00 e as 17:00 dos dias úteis e pretende apoiar cidadãos idosos em situação de maior vulnerabilidade e de isolamento social e geográfico.

"Intervém a nível emocional e psicológico, para atenuar as necessidades de socialização, identificar quadros demenciais, gerir a ansiedade e lutar contra a depressão, com o objetivo de contribuir para a melhoria global das condições de vida da população-alvo", explica o comunicado.

Leia Também: Em 6 dias, PSP interveio em 15 casos de violência doméstica com idosos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório