Meteorologia

  • 13 JUNHO 2021
Tempo
25º
MIN 18º MÁX 29º

Edição

AML quer acesso ao estudo sobre necessidades de estacionamento

A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) pediu hoje à Câmara a disponibilização imediata do estudo sobre as necessidades de estacionamento da cidade encomendado pela EMEL, considerando que "não é admissível" a ocultação de um documento desta natureza.

AML quer acesso ao estudo sobre necessidades de estacionamento
Notícias ao Minuto

20:38 - 18/05/21 por Lusa

País Estacionar em Lisboa

Na sessão plenária da AML, os deputados aprovaram, por unanimidade, uma recomendação do eleito Rodrigo Mello Gonçalves (independente, ex-PSD) que exorta a Câmara de Lisboa (liderada pelo PS) a "disponibilizar de imediato" à assembleia municipal o estudo sobre as necessidades de estacionamento na capital.

"Não é admissível que um estudo desta natureza, relativo a uma matéria da maior importância para a cidade, seja ocultado da assembleia municipal", é defendido na recomendação.

No documento é ainda acrescentado que a "Câmara de Lisboa deve pautar a sua atuação por critérios de transparência, dando acesso à informação que permita à assembleia municipal o efetivo exercício das suas competências de fiscalização".

A informação constante do estudo sobre a oferta e a procura de estacionamento "na via pública e em parques é de crucial importância para se poder analisar a política e as medidas da câmara municipal em matéria de estacionamento na cidade", considera Rodrigo Mello Gonçalves na recomendação.

Em 2019, a EMEL (Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa) anunciou que ia apresentar até ao final desse ano um estudo sobre o estacionamento na cidade, mas até agora o mesmo não é conhecido.

Há cerca de duas semanas, o vereador da Mobilidade da Câmara de Lisboa, Miguel Gaspar, questionado pelos deputados na 8.ª comissão permanente da AML, disse que ainda não tinha o estudo em sua posse.

Na sessão plenária de hoje, o vereador não teceu qualquer comentário sobre a recomendação."O que é que diz esse estudo que a Câmara não quer que se saiba", questionou Rodrigo Mello Gonçalves, acrescentando que "alguma coisa tem de dizer que a Câmara não quer mostrar".

Segundo a recomendação, a EMEL assinou em 29 de março de 2019 um contrato com a Trenmo Engenharia, SA com vista à "aquisição de serviços de consultoria, elaboração de estudo de necessidades de parques de estacionamento", no valor de 92 mil euros.

Leia Também: Operação Crash. GNR detém cinco pessoas que simulavam acidentes de carro

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório