Meteorologia

  • 23 JUNHO 2021
Tempo
22º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Sardinha abundante e de qualidade no 1.º dia de safra na Figueira da Foz

A sardinha pescada no primeiro dia de safra na Figueira da Foz é da melhor qualidade e os pescadores encontraram no mar cardumes abundantes e densos, disse o armador responsável por uma organização local de produtores.

Sardinha abundante e de qualidade no 1.º dia de safra na Figueira da Foz
Notícias ao Minuto

13:41 - 17/05/21 por Lusa

País Pesca

Figueira da Foz, Coimbra, 17 mai 2021 (Lusa) -- A sardinha pescada no primeiro dia de safra na Figueira da Foz é da melhor qualidade e os pescadores encontraram no mar cardumes abundantes e densos, disse o armador responsável por uma organização local de produtores.

"A safra hoje foi dentro do que era expectável, em relação à abundância de sardinha que sabemos existir no mar. Pescámos sardinha da melhor qualidade e tamanho que pode existir", disse à agência Lusa António Lé, da organização de produtores Centro Litoral.

Por outro lado, a aceitação do mercado à sardinha pescada "correspondeu às expectativas" do armador: em lota, o cabaz de sardinha (22,5 quilos) começou a ser vendido a 32 euros e terminou em 24 euros - o que corresponde a um preço por quilo entre 1,4 e um euros.

"Está acima da média dos preços de início de safra", sublinhou António Lé.

A frota de pesca de sardinha que deixou o porto da Figueira da Foz nas primeiras horas da madrugada de hoje, era constituída por dez embarcações, nove da Centro Litoral.

"Encontraram, desde a saída da barra até sul, cardumes extensos, densos de sardinha. Capturaram sardinhas de 20 a 22 peças por quilo", explicou António Lé.

A operação de cerco -- desde largar as redes até meter o peixe capturado na embarcação -- demora cerca de uma hora e decorreu, segundo o armador, ao nascer do dia, tendo os barcos regressado ao porto de pesca a partir das 08:00 de hoje.

A pesca da sardinha é feita a uma distância que varia entre as duas a seis milhas marítimas da costa (entre 3,7 km a cerca de 11 km), dependendo de onde se encontram os cardumes: "Tudo depende, o peixe anda consoante a temperatura da água, as correntes e uma série de outros fatores. Onde ele estiver é onde estamos nós", enfatizou.

"Hoje apanhámos a sul, porque fomos para sul. Se fossemos para norte apanhávamos a norte de certeza absoluta. A norte as informações que há é que os cardumes são iguais ou maiores e isso é dado pelas informações do IPMA [Instituto Português do Mar e da Atmosfera] no navio cientifico que andou a avaliar os recursos de sardinha", indicou António Lé.

Apesar de na manhã de hoje os mercados municipais da Figueira da Foz e de Buarcos terem as bancas de peixe fechadas, como habitualmente à segunda-feira, segundo o armador, as grandes superfícies da cidade "que concorrem com os mercados, já têm sardinha de hoje, pelo menos as da Figueira".

Sobre o despacho da secretária de Estado das Pescas que impõe um descanso semanal de 48 horas aos pescadores, com horários diferentes por zonas do país -- de Caminha à Figueira da Foz entre as 00:00 de sábado e as 00:00 de segunda-feira -- António Lé frisa que neste município litoral do distrito de Coimbra "sempre foi assim".

"Isso decorre do hábito, dos usos e costumes e do descanso semanal do horário laboral dos pescadores", alegou.

Leia Também: Pesca da sardinha reabre hoje após quase sete meses

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório