Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2021
Tempo
15º
MIN 12º MÁX 17º

Edição

Tendência "decrescente" de novas infeções. Há 9 casos da variante indiana

Relatório das 'Linhas Vermelhas' da Covid-19 indica que a variante britânica continua a ser a mais predominante: com 91,2%. Quanto a internados em UCI, o valor corresponde a "29% do valor crítico definido de 245 camas ocupadas".

Tendência "decrescente" de novas infeções. Há 9 casos da variante indiana

A incidência da variante indiana em Portugal subiu de sete casos na semana passada para nove nesta (mais dois). De acordo com o Relatório da Monitorização das 'Linhas Vermelhas' para a Covid-19, da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional Ricardo Jorge (INSA) "até 12 de maio, foram identificados nove casos da variante B.1.617 (associada à Índia), sete casos da linhagem B.1.617.1 e dois casos da linhagem B.1.617.2". Ainda assim, é revelado que "não parece existir transmissão comunitária desta variante." 

Já em relação às outras variantes presentes no nosso país, a britânica continua a ser a predominante: com 91,2%. O boletim indica que "com base na sequenciação genómica de amostras recolhidas em abril, a estimativa da prevalência de casos da variante B.1.1.7 (associada ao Reino Unido) foi de 91,2%". 

Já quanto à da África do Sul, "existe transmissão comunitária desta variante", sendo que, até 12 de maio, "foram identificados, por confirmação laboratorial, 88 casos", revela a DGS e o INSA.

Por fim, há ainda confirmados laboratorialmente, até à mesma data, "114 casos da variante P.1 (associada a Manaus, Brasil)", existindo também "transmissão comunitária" desta variante em Portugal. 

Em suma, explicam as autoridades, "a análise global dos diversos indicadores sugere uma situação epidemiológica com transmissão comunitária de moderada intensidade e reduzida pressão nos serviços de saúde"

Novos casos? Tendência "ligeiramente decrescente a nível nacional"

Quanto ao número de novos casos, o relatório das 'Linhas Vermelhas' explicita que o valor, acumulado nos últimos 14 dias, "foi de 50 novos casos" por 100 mil habitantes, com "tendência ligeiramente decrescente a nível nacional". Já o valor do R(t) apresenta "valores inferiores a 1 a nível nacional (0,95) e nas regiões de saúde do Norte, do Centro e de Lisboa e Vale do Tejo". 

Sobre internados em Cuidados Intensivos, o número diário de casos nestas Unidades no continente "revelou uma tendência ligeiramente decrescente, correspondendo a 29% do valor crítico definido de 245 camas ocupadas", frisa o relatório. 

Já a nível nacional, acrescenta-se, a proporção de testes positivos para SARS-CoV-2 "foi de 1,1%", valor que se "mantém abaixo do objetivo definido de 4%". Houve ainda um "decréscimo" do número de testes realizados nos últimos sete dias. 

Outra nota presente no documento é o facto de, nos últimos sete dias, "97% dos casos de infeção por SARS-CoV-2" ter sido isolado "em menos de 24 horas após a notificação", e foi rastreado e isolado "76% dos seus contactos". 

Esta sexta-feira, Portugal não registou novas mortes, mas notificou 450 novos casos de Covid-19. Em termos acumulados, o país soma 16.999 vítimas mortais e 841.739 infetados. O Rt subiu para 0.95 tanto a nível nacional como continental.

[Notícia atualizada às 19h32]

Leia Também: Há 22 concelhos acima do limite de incidência definido pelo Governo

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório