Meteorologia

  • 25 JUNHO 2021
Tempo
24º
MIN 18º MÁX 33º

Edição

"Grande maioria do país avança no desconfinamento", mas um concelho recua

O Executivo esteve reunido, esta quinta-feira, em mais um Conselho de Ministros e considerou que a pandemia, em Portugal, está "controlada". O país reúne, por isso, condições para avançar, na sua maioria, no desconfinamento.

"Grande maioria do país avança no desconfinamento", mas um concelho recua

Após a avaliação semanal da situação epidemiológica dos concelhos de Portugal continental, Mariana Vieira da Silva esclareceu, esta quinta-feira, em conferência de imprensa, que Portugal dá "sinal de [ter a] pandemia controlada, pese embora haja locais com surtos que precisamos de controlar". 

"Do ponto de vista da situação epidemiológica no quadro da nossa matriz de risco, podemos dizer que o país se encontra, como um todo, claramente na zona verde, muito abaixo do nível de incidência de 120 [por 100 mil habitantes] e confortavelmente abaixo do nível de 1 [do Rt]. São essas as condições que determinam que a grande maioria do país possa avançar no desconfinamento", revelou a ministra de Estado e da Presidência. 

O Conselho de Ministros determinou, então, que hoje há "apenas um concelho que recua nas suas condições de desconfinamento, que é Cabeceiras de Basto". Há ainda mais quatro concelhos "que ficam exatamente no sítio onde estavam e portanto não podem avançar, Carregal do Sal, as duas freguesias de Odemira, o concelho de Paredes e o concelho de Resende". 

Além disso, "temos quatro concelhos que, na semana passada, se encontravam em momentos diferentes do desconfinamento, mas anteriores ao momento em que o país estava, que atingem agora o nível de desconfinamento do país". (Consulte aqui a lista dos concelhos que avançam e recuam)

A evolução destes concelhos mostra, aos olhos do Governo, que a "estratégia definida de agir localmente quando os números ultrapassam os limites e agir com convicção resulta". 

Há, neste momento, "23 concelhos que estão em alerta, 17 dos quais já estavam em alerta há uma semana e seis que se juntam a esta situação. Nesta semana, temos nove concelhos a saírem da situação de alerta e seis a entrarem, o que simboliza a situação de melhoria geral que temos no país", explicou ainda. 

Em relação aos concelhos que se encontram na fase de desconfinamento de 19 de abril (anterior à que o país se encontra) estão os concelhos de Cabeceiras de Basto e de Paredes. Na fase de desconfinamento de 5 de abril estão Carregal do Sal e Resende. 

Na fase de 15 de março, saliente-se ainda, estão as duas freguesias de Odemira (São Teotónio e Longueira-Almograve) e, quanto a estas, "o Governo decidiu manter a cerca sanitária, considerando, no entanto, e ao contrário do que acontecia até aqui, a possibilidade de haver condições específicas de acesso ao trabalho).  

O Conselho de Ministros aprovou também o Decreto-lei que define o acesso e a permanência nas praias, "repetindo em larga medida as regras que já existiram no ano passado, com exceção de regras que se referiam, por exemplo, à atividade desportiva no areal ou à utilização de equipamentos de lazer nas praias", indicou a ministra. 

Tal como no ano passado, não é obrigatório o uso de máscaras no areal, mas torna-se obrigatório no acesso a cafés, restaurantes e casas de banho das praias. 

Além da pandemia, durante a reunião do Executivo, o Governo selecionou cinco propostas para a reprivatização da Efacec. De acordo com Pedro Siza Vieira, que também marcou presença na conferência de imprensa, estas empresas ou consórcios irão receber agora um convite para apresentarem propostas vinculativas para a aquisição de 71,73% da empresa, que foi nacionalizada pelo Estado.

Reveja aqui a conferência: 

Leia Também: AO MINUTO: Cerca vai manter-se em Odemira; Moderna eficaz em adolescentes

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório