Meteorologia

  • 23 ABRIL 2021
Tempo
17º
MIN 15º MÁX 21º

Edição

Aprovados cinco projetos destinados a integrar migrantes e refugiados

Projetos envolvem 1,4 milhões de euros, sendo que 75% desse montante é financiado por fundos europeus (1,06 milhões de euros).

Aprovados cinco projetos destinados a integrar migrantes e refugiados

A Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI) aprovou cinco projetos destinados a integrar migrantes e refugiados, no total de 1,4 milhões de euros e com 75% desse montante financiado por fundos europeus (1,06 milhões de euros), informa a tutela através de um comunicado. 

Enquanto Autoridade responsável do Fundo para o Asilo, para a Migração e Integração (FAMI), a SGMAI deu luz verde a projetos da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), da Câmara Municipal do Fundão, da Fundação Terras de Santa Maria da Feira, AMIZADE - Associação de Imigrantes de Gondomar e da PAP - Associação Pão a Pão (Lisboa).

Detalhando cada projeto, o Ministério da Administração Interna refere que o município do Fundão, através do seu Centro de Capacitação para Nacionais de Países Terceiros, propôs um programa de capacitação, formação e acolhimento na cultura portuguesa (no valor de 848,4 mil euros, comparticipado em 636,3 mil euros) para reforçar a atração de migrantes e garantir a sua posterior integração no mercado de trabalho nacional.

Já o projeto da CVP, no valor de 376 mil euros e comparticipado em 282 mil euros pelo FAMI, "visa contribuir para a efetiva integração de migrantes e refugiados – residentes no concelho de Coimbra e com baixas qualificações profissionais - no mercado de trabalho", pode ler-se. 

A PAP – Associação Pão a Pão apresentou um projeto destinado a aumentar a capacidade de integração no mercado de trabalho de refugiados e migrantes oriundos de países terceiros, no valor de 79,1 mil euros (dos quais 59,3 mil euros comparticipados pelo FAMI).

O projeto da Fundação Terras de Santa Maria da Feira, com um investimento de 73,4 mil euros e comparticipado em 55,1 mil euros, destina-se a melhorar o perfil de empregabilidade e apoiar a integração no mercado de trabalho de migrantes estrangeiros.

O quinto e último projeto, da AMIZADE - Associação de Imigrantes de Gondomar, no montante de 36,7 mil euros (27,5 mil comparticipados pelo FAMI), "visa criar e desenvolver sessões de formação junto de migrantes para promover as respetivas competências profissionais e capacidade de empreendedorismo", faz saber o MAI. 

O ministério tutelado por Eduardo Cabrita sublinha ainda que, no âmbito do atual Quadro Financeiro (2014-2020), a SGMAI aprovou 302 projetos com apoios do FAMI - nas áreas da Integração, do Acolhimento e Asilo e do Retorno -, envolvendo a atribuição de 67,1 milhões de euros.

De acordo com o Governo, regista-se um aumento sempre crescente nestas verbas, que começaram por ser de 2 milhões de euros em 2016. Passou-se para a casa dos 10 milhões em 2017, para os cerca de 22 milhões em 2018, mais de 30 milhões em 2019 e 48 milhões em 2020.

Leia Também: Covid-19: ACNUR pede que sejam garantidas vacinas para os refugiados

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório