Meteorologia

  • 12 ABRIL 2024
Tempo
19º
MIN 15º MÁX 27º

"Quando olhamos para trás quase sorrimos com as primeiras inocências"

Marta Temido saudou o árduo trabalho que os profissionais de saúde tiveram ao longo dos últimos 12 meses, no dia em que se assinala um ano de pandemia em Portugal.

"Quando olhamos para trás quase sorrimos com as primeiras inocências"
Notícias ao Minuto

13:41 - 02/03/21 por Notícias ao Minuto

País Covid-19

António Costa e Marta Temido visitaram o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, esta terça-feira, 2 de março, dia em que se assinala um ano de pandemia em Portugal.

Após a visita, a governante saudou o árduo trabalho que os profissionais de saúde tiveram ao longo dos últimos 12 meses.

"Não podemos deixar de nos emocionar com aquilo que foi a capacidade dos nossos profissionais de saúde", começou por salientar a ministra da Saúde, realçando a evolução do combate à pandemia, nomeadamente, as várias melhorias no SNS 24 e o seguimento da campanha de vacinação.

"Temos mais vacinados hoje do que temos doentes infetados até à data por Covid-19", afirmou Temido, acrescentando que "foram meses muito difíceis".

"Hoje quando olhamos para trás quase que sorrimos com algumas as nossas primeiras inocências perante uma doença nova que veio alterar tão radicalmente a nossa vida [...].Várias vezes tropeçámos uns nos outros com os olhos um pouco marejados de lágrimas, porque houve gente que morreu, gente que adoeceu e ficou com sequelas e há marcas que não vão sair na forma como nos relacionamos com os outros", recordou.

Antes de terminar, a governante apelou ainda que se mantenham todas as "precauções e cautelas" no combate à pandemia, porque esta ainda não foi derrotada, apesar da descida dos números e do avanço da vacinação.

Já António Costa, durante a mesma visita, destacou a "excelência dos nossos profissionais de saúde", a quem agradeceu, com um "muito, muito obrigado".

O primeiro-ministro sublinhou ainda que "a disciplina na contenção" é, neste momento, a melhor ajuda que "todos nós podemos dar".

"Não podemos repetir o que aconteceu na primeira vaga, na segunda vaga e neste trágico mês de janeiro. A ideia de que as tragédias não se repetem é falsa", concluiu o Chefe do Governo.

Leia Também: AO MINUTO: Eliminar vírus? "Improvável". 6,2% já tomou por cá a 1.ª dose

Recomendados para si

;
Campo obrigatório