Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2021
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

Autarca considera "passo importante" redução da cerca em Rabo de Peixe

O presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe disse hoje que a redução da cerca sanitária é um "passo importante", mas que só ficará "realizado" quando a vila açoriana deixar de estar isolada devido à covid-19.

Autarca considera "passo importante" redução da cerca em Rabo de Peixe
Notícias ao Minuto

19:11 - 23/02/21 por Lusa

País Covid-19

"Hoje foi dado um passo importante rumo àquilo que nós pretendemos, de certa forma, que é a libertação de Rabo de Peixe relativamente à cerca sanitária. Mas, logicamente, não era aquilo que nós queríamos na totalidade", afirmou Jaime Vieira à agência Lusa.

Segundo o presidente da Junta de Freguesia de Rabo de Peixe, no concelho da Ribeira Grande, a decisão do Governo dos Açores anunciada hoje de reduzir a cerca sanitária na freguesia "libertou muita gente" na vila.

Contudo, acrescentou, só ficará "realizado" quando não existir qualquer cerca na freguesia no norte de São Miguel.

"Só vamos ficar satisfeitos e realizados quando não houver necessidade de nenhuma pessoa, nenhuma família, estar em cerca em Rabo de Peixe", declarou.

O autarca alertou ainda para a necessidade de a população cumprir com as medidas de combate à pandemia da covid-19.

"É preciso, a partir de agora, que todos nós percebamos que o facto de ter sido levantada parte substancial da cerca em Rabo de Peixe não nos pode, também, fazer baixar os braços relativamente àquilo que são os cuidados a ter com o contágio da covid-19", frisou.

Jaime Vieira disse também esperar que a vila entre "rapidamente" na categoria de médio risco de contágio de covid-19, para que seja permitida a abertura do comércio.

"Há empresários, há comerciantes que já estão há 40 dias com cerca. Isso tem custos enormíssimos. Aquilo que eu espero, no meio disso tudo, é que rapidamente se consiga baixar Rabo de Peixe para médio risco" de contágio, afirmou.

O autarca, que também é deputado do PSD (partido que lidera o Governo dos Açores de coligação PSD/CDS-PP/PPM) na Assembleia Regional, acrescentou que tudo fará para compensar os empresários da vila, uma vez que os estabelecimentos comerciais têm de estar encerrados enquanto vigorar a cerca. 

"Tudo iremos fazer, no que nos diz respeito à junta, e a mim em particular, enquanto deputado regional, cargo que ocupo, tudo farei para que o Governo Regional dos Açores possa compensar de forma extraordinária e excecional todos os comerciantes que ficaram lesados com essa cerca", adiantou.

No plenário da Assembleia Regional, que decorre esta semana na cidade da Horta, Faial, será discutido um projeto de resolução do PSD para a criação de um programa especial de apoio à economia de Ponta Garça, que também já esteve sob cerca sanitária, e Rabo de Peixe.

Em 13 de janeiro foi anunciado que a freguesia de Rabo de Peixe, iria ficar sob cordão sanitário a partir de dia 15, devido à pandemia de covid-19.

Hoje, o Governo dos Açores anunciou que vai restringir a cerca sanitária de Rabo de Peixe a uma zona específica da vila, aplicando medidas de alto risco àquela localidade e de médio risco ao concelho da Ribeira Grande.

Desde o dia 05 de fevereiro que a cerca se aplicava apenas a uma parte da vila e, a partir das 00:00 de quarta-feira, será ainda mais restrita.

Os Açores têm atualmente 63 casos ativos de infeção pelo novo coronavírus, sendo 51 em São Miguel, sete no Pico, três na Terceira, um em Santa Maria e um no Faial.

Desde o início da pandemia foram diagnosticados nos Açores 3.834 casos de covid-19, tendo já 3.637 pessoas recuperado da doença. Registaram-se ainda 29 óbitos associados à covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.474.437 mortos no mundo, resultantes de mais de 111 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.086 pessoas dos 799.106 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório