Meteorologia

  • 28 FEVEREIRO 2021
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 19º

Edição

Concentração em Lisboa pelo rapper Pablo Hasél esta sexta-feira

A vigília irá decorrer ao final da tarde em frente ao consulado de Espanha. Será também entregue uma petição que exige a libertação do artista catalão, que já conta com mais de quatro mil assinaturas.

Concentração em Lisboa pelo rapper Pablo Hasél esta sexta-feira

A Plataforma Liberdade Pablo Hasél - um movimento português criado nas redes sociais - convocou, esta segunda-feira, uma concentração em frente ao consulado de Espanha, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, para a próxima sexta-feira, 26 de Fevereiro.

A vigília, marcada para as 18h00, contará com "várias intervenções" pela "necessária e justa" libertação imediata do rapper catalão Pablo Hasél, explica em comunicado o grupo de organizadores do evento.

Será também entregue à representação diplomática espanhola em Portugal "um conjunto de assinaturas recolhidas até esse dia", no âmbito de uma petição criada também pelo movimento que, em 72 horas, conta com mais de quatro mil assinaturas.

Entre os signatários deste abaixo-assinado encontram-se figuras reconhecidas da música nacional, como Valete, Capicua, Sérgio Godinho, Lena D'Água, Vhils, Bordallo II, Jorge Palma, Chullage, Fernando Ribeiro (Moonspell), Rui Pité (Buraka Som Sistema).

"Na sequência da prisão de Pablo Hasél, milhares de pessoas saíram às ruas um pouco por todo o Estado espanhol para expressarem a sua indignação e defenderem a liberdade de expressão e as liberdades essenciais. Estas manifestações têm sido barbaramente reprimidas pela polícia que, em apenas dois dias já causou cerca de uma centena de feridos (alguns com enorme gravidade) e 80 detenções", pode ler-se na petição, que exige igualmente a libertação do artista, sublinhando que a sua detenção "viola gravemente a Declaração Universal dos Direitos Humanos, no seu artigo 19.º sobre a liberdade de expressão".

No documento, é ainda exigido que o Governo, à luz da Constituição portuguesa, "adote uma postura firme, que se distancie da condenação do artista e da violência praticada sobre cidadãos que saíram à sua em defesa da liberdade, da democracia e da liberdade de expressão".

Leia o abaixo-assinado na íntegra aqui.

Pablo Hasél está detido há cerca de uma semana

O rapper Pablo Hasél, detido na passada terça-feira na Universidade de Lérida (Catalunha), tornou-se um símbolo da liberdade de expressão em Espanha, depois de ter sido condenado a nove meses de prisão por, segundo a acusação, insultar as forças de ordem espanholas, glorificar o terrorismo e injuriar a monarquia.

Os factos pelos quais o rapper foi condenado remontam a 2014 e 2016, quando publicou uma canção no YouTube e dezenas de mensagens no Twitter, acusando as forças de ordem espanholas de tortura e de homicídios.

Na segunda-feira, Pablo Hasél barricou-se na Universidade de Lérida, a sua cidade natal, na Catalunha, na companhia de um grupo de apoiantes, mas a polícia catalã conduziu-o à prisão na manhã seguinte, para começar a cumprir a pena.

Leia Também: Oito detidos e menos incidentes em Barcelona no 6.º dia de protestos

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório