Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2021
Tempo
15º
MIN 12º MÁX 19º

Edição

Sindicato quer "reação rápida" para aliviar pressão das urgências

O Sindicato dos Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar (STEPH) defendeu hoje uma "reação rápida e eficaz" do INEM para minimizar a "enorme pressão que alguns hospitais estão sujeitos" devido ao aumento de casos de Covid-19.

Sindicato quer "reação rápida" para aliviar pressão das urgências

"Urge uma reação rápida e eficaz que minimize o impacto sofrido pela enorme pressão que alguns hospitais estão sujeitos", adiantou o STEPH em comunicado, lembrando que cabe ao INEM garantir a prestação de cuidados de emergência médica aos cidadãos e o transporte assistido das vítimas para as unidades hospitalares.

Segundo o sindicato, a pressão que se tem verificado nos serviços de urgência leva a que as "ambulâncias fiquem várias horas retidas à porta" dos respetivos hospitais, o que inviabiliza a utilização dessas viaturas para socorro a outros cidadãos.

"O facto de o INEM continuar a enviar ambulâncias para hospitais onde já existem outras retidas, revela impreparação e inação, colocando em risco a vida dos cidadãos transportados, bem como de quem sofre um acidente ou doença súbita e que pode vir a precisar de recorrer à emergência médica", alerta o STEPH.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 2.075.698 mortos resultantes de mais de 96,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 9.686 pessoas dos 595.149 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório