Meteorologia

  • 23 JANEIRO 2021
Tempo
13º
MIN 10º MÁX 16º

Edição

Estratégia de vacinação? "Ainda não foi discutida com o Ministério"

O Ministério da Saúde emitiu um esclarecimento e garante que a estratégia de vacinação contra a Covid-19 ainda não foi validada politicamente.

Estratégia de vacinação? "Ainda não foi discutida com o Ministério"

A imprensa nacional avançou, na quinta-feira, que já foram concluídos os critérios da vacinação contra a Covid-19 e que os idosos não estão nos grupos prioritários. O Ministério da Saúde esclarece agora que a estratégia de vacinação contra a Covid-19 "ainda não foi discutida com o Ministério da Saúde nem validada politicamente".

Em comunicado enviado às redações, o gabinete de Marta Temido defende que as "informações vindas a público estão incluídas num documento meramente técnico e são parcelares e desatualizadas".

A SIC Notícias avançou ontem que o primeiro grupo a ser vacinado será o das pessoas entre 50 e os 75 anos com doença muito grave eos utentes e funcionários dos lares de terceira idade.

Nesta fase, refere a estação de Paço de Arcos, a comissão técnica da vacina não incluiu nos grupos prioritários as pessoas com mais de 75 anos, uma vez que as farmacêuticas produtoras das vacinas e a própria Agência Europeia do Medicamento (EMA) não apresentaram ainda evidência científica da eficácia das vacinas neste grupo.

Profissionais de saúde, refere ainda o meio de comunicação, que estão na primeira linha (que trabalham nos cuidados intensivos e enfermarias onde estão hospitalizados doentes com a doença) também integram o primeiro grupo.

Também o Expresso e o Jornal Público desta sexta-feira destacam que os idosos são a última prioridade para a futura vacina da Covid-19.

Recorde-se que a'task force' criada pelo Governo para coordenar o plano, desde a estratégia de vacinação à operação logística associada, tem um mês para definir todo o processo.

O despacho publicado ontem em Diário da República, assinado pelos ministros da Defesa Nacional, Administração Interna e Saúde, dá conta que esta equipa tem um mandato de seis meses, renovável em função do progresso da operacionalização da vacinação contra a covid-19.

Esta quarta-feira, a ministra da Saúde garantiu também que o risco de Portugal não estar preparado para vacinar contra a Covid-19 quando a vacina for distribuída é "zero", referindo que "há muito" que o país se está a preparar. Na semana passada, Marta Temido avançou que o Governo estava a "preparar tudo" para começar a distribuição da primeira vacina em janeiro.

Leia Também: Já estão definidos os grupos para vacinação contra a Covid-19

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório