Meteorologia

  • 27 NOVEMBRO 2020
Tempo
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Loures aprova moção que exige mais assistentes operacionais para escolas

A Câmara Municipal de Loures aprovou uma moção que exige ao Governo que autorize a contratação de mais assistentes operacionais para as escolas, permitindo o reforço de, pelo menos, 20% face ao número atualmente previsto, foi hoje divulgado.

Loures aprova moção que exige mais assistentes operacionais para escolas
Notícias ao Minuto

18:13 - 08/10/20 por Lusa

País Loures

Segundo uma nota publicada no 'site' do município do distrito de Lisboa, a moção, que foi aprovada por unanimidade na última reunião do executivo, presidido pelo comunista Bernardino Soares, defende igualmente a adoção de "medidas urgentes que visem a contratação dos educadores e dos professores necessários para o normal funcionamento do ano letivo".

"Desde o início do ano letivo, a Câmara de Loures já contratou 48 novos assistentes operacionais para as escolas. A esse número juntam-se outros seis trabalhadores não docentes, cuja admissão foi aprovada nesta reunião camarária", lê-se na nota.

A autarquia sublinha que com este reforço passam a existir no concelho de Loures 110 assistentes operacionais "única e exclusivamente a cargo do município", uma vez que estão acima do rácio definido pelo Ministério da Educação.

Na nota, a Câmara Municipal de Loures ressalva ainda que a portaria publicada há uma semana pelo Governo, que regulamenta a contratação imediata de 1.500 assistentes operacionais para as escolas de todo país, uma medida no contexto da pandemia da covid-19, "nem de perto, nem de longe, ajudará a resolver o problema".

"No caso de Loures, o município foi informado que da aplicação desse documento resultaria a possibilidade de contratação a termo certo de 14 assistentes operacionais, para um total de 13 agrupamentos escolares", aponta a autarquia.

Além de assistentes operacionais, a Câmara Municipal de Loures pretende, igualmente, o reforço de educadores e professores, estimando que haja, pelo menos, 90 trabalhadores em falta.

As aulas começaram entre os dias 14 e 17 de setembro num regresso ao ensino presencial depois de, no passado ano letivo, as escolas terem sido encerradas em meados de março devido à evolução da pandemia de covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão e cinquenta e sete mil mortos e mais de 36,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 2.050 pessoas dos 82.534 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório