Meteorologia

  • 23 OUTUBRO 2021
Tempo
24º
MIN 13º MÁX 25º

Edição

Ministra admite casos de infeção decorrentes do surto de Beja

A ministra da Saúde, Marta Temido, admitiu hoje que possam surgir mais casos de infeção com o novo coronavírus decorrentes do surto detetado no hospital de Beja que regista 32 casos entre profissionais de saúde.

Ministra admite casos de infeção decorrentes do surto de Beja
Notícias ao Minuto

17:21 - 30/09/20 por Lusa

País Covid-19

natural que estes casos tenham diferentes níveis de transmissão e vir a gerar mais casos. É um tema que está a ser acompanhado pela Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) e pela Administração Regional de Saúde do Alentejo", disse Marta Temido na conferência de imprensa de ponto de situação sobre a pandemia covid-19 em Portugal.

"Tínhamos à data de ontem [terça-feira] 31 profissionais infetados, hoje haverá mais um. E em vigilância ativa e consequente isolamento profilático estão vários profissionais, de entre eles 12 médicos, 19 enfermeiros, nove assistentes operacionais, dois técnicos de diagnóstico e um assistente técnico", referiu.

Marta Temido garantiu "esforços para ultrapassar a situação", apontando que "relativamente ao serviço de ortopedia, mantém-se em funcionamento dentro da normalidade, mas com suspensão das cirurgias eletivas".

Sobre o serviço de cirurgia do hospital de Beja, Marta Temido admitiu que "neste momento só existe escala para alguns dias".

"Mas estamos convictos de que vamos conseguir ultrapassar a situação e felizmente tem sido feito um trabalho com o Hospital Militar que nos tem ajudado a encaminhar todos os doentes que precisam de resposta urgente, sendo que os demais utentes serão imediatamente reagendados logo que o hospital retome a sua normalidade", concluiu.

Também hoje de manhã, a ULSBA revelou que o número de profissionais de saúde infetados no surto de covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, identificado no bloco operatório do hospital de Beja subiu de 31 para 32.

Na atualização divulgada às 10:30, a ULSBA indica que há mais um caso de infeção confirmado, o de um assistente operacional, a juntar aos 31 registados até à anterior atualização, que tinha sido divulgada na terça-feira às 13:00.

Entre os 32 infetados confirmados, há 14 enfermeiros, nove médicos, seis assistentes operacionais, dois assistentes técnicos e um técnico de diagnóstico e terapêutica. Todos têm "apenas sintomas ligeiros" e estão em isolamento em casa, refere a ULSBA, indicando que tem outros 45 profissionais "em vigilância ativa com isolamento profilático de 14 dias".

Devido ao surto, a ULSBA reforçou as medidas de segurança e higiene, alargou o rastreio a profissionais e decidiu realizar testes de despiste de covid-19 a todos os funcionários do hospital de Beja, o que deverá terminar no final desta semana.

Como "medida adicional", na terça-feira, uma empresa especializada fez uma desinfeção suplementar do bloco operatório, através de vaporização de peróxido de hidrogénio e radiação ultravioleta, indica a ULSBA, que gere o hospital de Beja.

Desde a identificação do surto, na passada na quinta-feira, quando foram detetados os primeiros seis enfermeiros do bloco operatório infetados, e até às 10:30 de hoje, foram feitos cerca de 700 testes a profissionais do hospital, precisa a entidade.

Portugal contabiliza pelo menos 1.971 mortos associados à covid-19 em 75.542 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de um milhão de mortos no mundo desde dezembro do ano passado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório