Meteorologia

  • 25 OUTUBRO 2020
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

"Portugal tem sido sempre um parceiro e este é um momento de união único"

A presidente da Comissão Europeia Ursula Von der Leyen e o primeiro-ministro António Costa estiveram reunidos, esta segunda-feira, em São Bento. Antes de um jantar de trabalho, ambos falaram aos jornalistas sobre a importância deste encontro.

"Portugal tem sido sempre um parceiro e este é um momento de união único"

Ursula Von der Leyen esteve reunida, esta segunda-feira, em São Bento, com o primeiro-ministro António Costa, para analisar o combate à Covid-19 e a preparação da presidência portuguesa no início do próximo ano.

Após a reunião, e antes de um jantar de trabalho que ambos terão esta noite, a presidente da Comissão Europeia (CE) elogiou Portugal "não só por encontrar uma saída para a crise" do coronavírus "com trabalho duro, boas ideias e disciplina", mas também por "saber definir um rumo para o futuro".

A presidente da Comissão Europeia apontou como exemplos Portugal ter "mudado eficazmente o seu 'mix' de energia para um resultado mais sustentável" e ser, "particularmente Lisboa, uma referência no mundo digital".

Von der Leyen salientou que Portugal "tem sido sempre um parceiro e este é um momento de união único", garantindo que a próxima geração de políticas europeias "são um fato feito à medida" de Portugal. 

"As medidas [da Comissão Europeia] são um fato feito à medida de Portugal. Tem havido um grande investimento por parte da União Europeia para ajudar Portugal ainda mais a manter o bom rumo. Todos podem ajudar a garantir que as empresas e os postos de trabalho -  que Portugal precisa para se desenvolver - vão resistir a esta crise", disse referindo-se ao investimento que chegará agora a Portugal, através do novo Mecanismo Europeu de Recuperação e Resiliência, e que, segundo a mesma "pode dar um empurrão" ao país.

Ao lado do primeiro-ministro português, Von der Leyen reiterou que a União Europeia (UE) só poderá continuar a existir, se apoiar cada um dos Estados-membros: "António, eu sei que a perspetiva social é essencial para ti, porque acabamos de falar nisso, também falamos da economia social de mercado. A economia social de mercado faz parte da nossa identidade e a União Europeia só se pode manter forte e resiliente se cada um dos Estados-membros também o for", realçou.

Von der Leyen assegurou ainda que a Comissão, enquanto intermediário, o Conselho e o Parlamento Europeu estão "a trabalhar duramente" para avançar nas "difíceis negociações" do orçamento para 2021-2027 e o fundo de recuperação que lhe está associado, e que todos "sabem o que está em jogo": "que a pandemia não acabou, que vamos ter de viver com o vírus e que isto terá um impacto muito forte nas nossas economias".

Quando houver um acordo final e for terminado o subsequente processo de ratificação pelos parlamentos nacionais, "a Comissão irá buscar o dinheiro aos mercados".

"Cabe-nos agora investi-lo de forma acertada e responsável", disse.

Por sua vez, e depois de agradecer a presença e palavras da presidente da CE, António Costa elogiou a forma "exemplar" como Von der Leyen tem conduzido a UE num momento "tão difícil".

"Ursula von der Leyen tem conduzido a União Europeia de forma exemplar num momento tão difícil no atual quadro de pandemia que tem atingido duramente a Europa. Sob o impulso da Comissão, a forma como a União Europeia tem enfrentado esta crise é um exemplo de como a união faz a força e reforça a capacidade de todos de podermos estar à altura desta crise", salientou o primeiro-ministro.

Posteriormente, o governante português recordou que o plano de recuperação e resiliência "é uma enorme responsabilidade" para responder ao esforço europeu e que todos os Estados-membros devem comprometer-se com esse desafio. "Todos os Estados-membros devem preparar-se para, assim que os fundos estejam disponíveis, os possam aplicar", defendeu, saudando a proposta da Comissão Europeia, "que muitos consideravam impossível".

Tendo ao seu lado a responsável germânica, António Costa falou também sobre as prioridades da presidência portuguesa do Conselho a partir do primeiro semestre de 2021.

"A presidência portuguesa elegeu como prioridade o desenvolvimento do pilar social da União Europeia, porque é uma condição fundamental para reforçar a nossa capacidade nas áreas da saúde e apoio aos mais idosos e aos mais jovens. Queremos ainda criar as condições para o reforço das qualificações, tendo em vista os desafios das transições do digital e do clima. É preciso reforçar a inovação para que as empresas possam ser mais competitivas na nova era climática e digital e reforçar a proteção social para que todos sintam confiança para enfrentar os desafios", declarou António Costa.

Já em jeito de conclusão, António Costa sublinhou que a aquisição conjunta da vacina para a Covid-19 é um "passo fundamental" no combate à Covid-19 e que reitera a união da UE.

Antes desta conferência de imprensa, o primeiro-ministro e Ursula von der Leyen tiveram uma breve reunião de 40 minutos. Depois, ainda esta noite, terão em São Bento um jantar de trabalho.

Saliente-se que esta constituiu a primeira visita oficial a Portugal de Ursula von Der Leyen desde que tomou posse como presidente da Comissão Europeia em dezembro de 2019. Amanhã, recorde-se, marcará presença na reunião do Conselho de Estado, a convite do presidente Marcelo Rebelo de Sousa.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório